SBP chama a atenção para a capacitação da assistência perinatal

30/11/2018

Para chamar a atenção dos profissionais da assistência perinatal e dos gestores da saúde sobre a importância da prevenção da prematuridade no Brasil, o Departamento Científico de Neonatologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) divulgou neste mês uma nota técnica sobre o Dia da Prematuridade, em alusão ao Novembro Roxo, mês de sensibilização sobre o tema. No documento, os especialistas da SBP apresentam o processo de implementação de práticas alimentares recomendadas e fundamentadas no leite humano e os padrões internacionais de crescimento pós-natal de pré-termos desenvolvidos no Estudo Intergrowth-21.

Para a dra. Maria Albertina Santiago Rego, professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e membro do DC de Neonatologia da SBP, “a prematuridade é o maior problema de saúde pública, no nível mundial, da saúde da mulher e da criança”. Por isso, explica ela, neste ano, no dia da prevenção da prematuridade (17), a SBP participou da divulgação do curso online de “Práticas alimentares e monitoramento do crescimento do pré-termo”, que a partir de agora passa a ser oferecido também em língua portuguesa.

CURSO ONLINE – O treinamento, que contou com a contribuição do Departamento Cientifico de Neonatologia, é coordenado pela Oxford Maternal & Perinatal Health Institute, da Universidade de Oxford, e recebe apoio ainda de instituições parceiras (Geneve Foundation for Medical Education and Research, Maternal Health Task Force - Harvard School of Public Health e The Global Health Network).  “Trata-se de um curso gratuito, de alta qualidade e muito informativo, que explora bastante a importância da prevenção da prematuridade”, disse dra. Albertina.

Segundo ela, a prematuridade é principal causa de complicações e mortes de crianças que nascem no Brasil nos primeiros cinco anos de vida. “Grande parte das morbidades e mortes decorrentes da prematuridade são potencialmente preveníveis. O Brasil é o 10° país do mundo em carga de doenças atribuídas à prematuridade” alerta.

ESTRATÉGIA – Para a dra. Albertina, a melhoria da qualidade da assistência ao pré-termo é primordial e, por isso, ela se coloca à disposição para discutir em reuniões técnicas regionais o desenvolvimento dessa estratégia educacional, sob a coordenação da Universidade de Oxford. “As filiadas da SBP podem se articular, por exemplo, para reunir os interessados em cada um dos estados. Será um prazer ajudar a levar esse conhecimento para todo o País”, disse.

O curso está disponibilizado em inglês, espanhol, russo e francês, recentemente passou a ser oferecido também em português, com apoio da UFMG. O objetivo da SBP é contribuir para a formação de uma comunidade cientifica, online, em nível mundial, de profissionais de unidades de referência em atenção perinatal, como estratégia de sensibilização para a importância do problema.

DOCUMENTOS – Em 2017, a SBP disponibilizou o documento cientifico: “Prevenção da Prematuridade: uma responsabilidade da Gestão e da Assistência”, onde foram levantadas estratégias fundamentais de prevenção ao nível da gestão e abordagem clínica da prematuridade na rede de atenção à saúde da gestante e recém-nascido.

Outra iniciativa da entidade foi o lançamento da campanha Nascimento Seguro, marco do programa da SBP, de estratégias para garantir os direitos universais da criança desde a gestação, integrando ao parto e nascimento, e período neonatal, infantil e adolescente.

 

Fonte: Site da SBP