Crise na saúde de Campos: CREMERJ divulga o que ficou acordado

27/08/2019


Devido à crise na saúde pública de Campos dos Goytacazes, representantes da sede do CREMERJ promoveram uma reunião, nessa segunda-feira, 26, no auditório da Sociedade Fluminense de Medicina e Cirurgia do município. O Conselho compartilha abaixo os principais pontos definidos durante o encontro.

1- Os relatórios de fiscalização do CREMERJ foram protocolados no Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, na Defensoria Pública e no Ministério Público Federal. Representantes da Secretaria Municipal de Saúde de Campos e diretores do Hospital Geral de Guarús (HGG) e do Hospital Ferreira Machado (HFM) também receberam os documentos.

2- Quanto às inconformidades encontradas nas unidades fiscalizadas, o CREMERJ deu um prazo para as resoluções.

3- O CREMERJ enviou ofício à Vigilância Sanitária estadual para fiscalizar o HGG e o HFM. O pedido formal também foi destinado ao Corpo de Bombeiros e à Defesa Civil estadual para avaliarem o teto do HGG, devido ao risco de desabamento e ao risco de problemas elétricos, causados por fiação exposta em contato com água.

4- O CREMERJ recebeu dezenas de denúncias das Unidades Pré-Hospitalares (UPHs), das Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e dos centros de referência. Todas serão fiscalizadas. Diante da inexistência de responsáveis técnicos na maioria das unidades, o secretário de Saúde passará a responder junto ao CREMERJ. Novas sindicâncias poderão ser abertas, caso haja negligência na solução dos problemas.

5- A sede do CREMERJ passará a acompanhar diretamente o caso de Campos, e não somente a Delegacia Regional do município. Foi instituído um gabinete de crise para administrar a situação da Saúde na cidade, que será comandado pela conselheira Margareth Portella, que coordena a Comissão de Saúde Pública do Conselho.

6- As novas denúncias apresentadas, durante a reunião, revelaram que aproximadamente 70 UBSs de Campos não contam com responsável técnico e, portanto, estão irregulares.

7- Há também previsão de novas fiscalizações do CREMERJ nas unidades de saúde da área, uma vez que as inconformidades abrangem toda a rede pública do município.

“O CREMERJ, no cumprimento da sua função de assegurar qualidade na assistência da população, continuará atento às reivindicações dos médicos de Campos, cobrando das autoridades todas as providências que se fazem necessárias com a máxima urgência. É o CREMERJ presente”, destacou o presidente do Conselho, Sylvio Provenzano.