CREMERJ divulga sobre prêmio para acadêmicos e ligas

12/02/2019


Com o intuito de se aproximar cada vez mais dos médicos jovens e dos acadêmicos de medicina, o diretor do CREMERJ Ricardo Farias recebeu, nesta segunda-feira, 11, representantes da Associação dos Estudantes de Medicina do Rio de Janeiro (Aemed-RJ) e da Associação Brasileira de Ligas Acadêmicas de Medicina (Ablam). O encontro teve como objetivo conversar sobre a importância da carteira de interno e alinhar a divulgação do 1° Prêmio Acadêmico de Medicina e Ligas Acadêmicas do Conselho, que acontecerá no dia 28 de março.

Farias explicou que os estudantes de medicina a partir do 9º período podem fazer a pré-inscrição no CRM para receberam sua carteira de interno, sem custos. Com o documento ele pode usufruir de alguns serviços oferecidos pelo CREMERJ, como o acesso a revistas científicas e o Clube de Benefícios. Além disso, segundo Farias, a carteira traz mais segurança tanto ao interno quanto às unidades:

“É uma via de mão dupla. A existência da carteira possibilita uma comprovação para os acadêmicos e contribui para denunciar aqueles que atuam como falsos médicos. No futuro, através de convênios com os hospitais, o Conselho terá uma medição de quantos acadêmicos por hospitais e se o número de preceptores é compatível”, explicou, acrescentando que este ano, a pré-inscrição no Conselho e a carteira de interno serão necessárias aos acadêmicos que quiserem se inscrever no prêmio. O evento está aceitando inscrições de trabalhos até o dia 21 de fevereiro.

Também no dia 28 será realizado o 15º Prêmio de Residência Médica, onde os estudantes poderão apresentar suas pesquisas. Os trabalhos devem ser desenvolvidos por acadêmicos a partir do 9º período sob a orientação de um professor-orientador. As inscrições serão feitas por e-mail (seccat@crm-rj.gov.br) até o dia 21 de fevereiro. Os grupos de acadêmicos das ligas também poderão se inscrever, tendo pelo menos um estudante a partir do 9º período.

 “Gostei muito dessa ideia de um apoio com evento para as ligas acadêmicas. A questão do financiamento sempre gera dificuldades para nós. Os prêmios como forma de valorizar os médicos e seus trabalhos científicos tão desconstruídos ao longo desses últimos anos”, comentou Daniel Siqueira Silva, aluno da Universidade Federal do Rio de Janeiro e membro da Aemed-RJ.

Na reunião com os representantes da Aemed-RJ e da Ablam, Ricardo Farias pediu ajuda na divulgação dos prêmios entre os estudantes e buscou uma proximidade maior com os acadêmicos, ouvindo sugestões e os convidando para participarem das reuniões da Comissão de Integração do Médico Jovem.

O evento conta também com o apoio da Sociedade Médica do Estado do Rio de Janeiro (Somerj).