CREMERJ corrobora posição do CFM contra a violência obstétrica

11/12/2018


O CREMERJ apoia o parecer 32/2018, do Conselho Federal de Medicina (CFM), que se posicionou contra o uso indiscriminado da expressão “violência obstétrica”. De acordo com o documento, o termo é uma agressão contra a especialidade médica de ginecologia e obstetrícia, contra o conhecimento científico e, por conseguinte, contra a mulher na sociedade, a qual necessita de segurança e qualidade de assistência médica.

O documento ainda reforça que o termo “violência obstétrica” deveria receber outra designação, pois envolveria, na realidade, todas as inadequadas condições dos locais de atendimento, da violência institucional, bem como de todos os profissionais de saúde e outros personagens envolvidos no atendimento à mulher.

O parecer foi elaborado pela Câmara Técnica de Ginecologia e Obstetrícia do CFM.

 

Leia aqui a íntegra o documento