CREMERJ envia denúncia à Polícia Federal sobre Denis Furtado

17/07/2018



O CREMERJ encaminhou nesta terça-feira, 17, comunicação à Polícia Federal sobre o caso do médico Denis Cesar Barros Furtado, conhecido como Dr. Bumbum, que atuava no Rio de Janeiro sem registro no Conselho do Rio, violando o Código de Ética Médica. Acusado de realizar um procedimento estético que levou à morte a paciente Lilian Calixto Jamberci, Denis é considerado foragido pela Polícia Civil, bem como demais pessoas suspeitas de estarem ligadas à ocorrência, inclusive a mãe do médico, Maria de Fátima Barros Furtado, que teve o registro cassado pelo Conselho do Rio em 2015, mas continua atuando ilegalmente.

O médico possui registro em Goiás e no Distrito Federal, mas não poderia atuar profissionalmente no Rio de Janeiro sem autorização do CREMERJ. De acordo com a imprensa, ainda pesam sobre ele outras ações na Justiça e investigações criminais.

O CRM-RJ também pedirá a interdição cautelar de Denis ao Conselho Federal de Medicina (CFM). O médico tem inscrição primária no Conselho do Distrito Federal, onde possui processo ético em andamento.

Ainda na segunda-feira, 16, o CREMERJ abriu sindicância para apurar as denúncias da morte de paciente após procedimento realizado por ele em sua residência no Rio de Janeiro, e as conclusões serão enviadas ao conselho onde Denis Furtado possui registro.

O CREMERJ faz um alerta à população sobre os procedimentos estéticos, principalmente os cirúrgicos: essas intervenções só devem ser feitas por médicos qualificados e em ambiente em conformidade com as resoluções do CREMERJ e do CFM, para que, caso haja algum problema, o socorro possa ser imediato.

 

Foto: reprodução de perfil do Facebook