CREMERJ vai receber seminário sobre segurança química

25/04/2018


O CREMERJ vai receber nos próximos meses um seminário sobre a relevância da segurança química na área médica, organizado pela Comissão Nacional de Segurança Química (Conasc) e pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). A decisão foi encaminhada durante uma reunião realizada nesta quarta-feira, 25, entre o presidente do CRM, Nelson Nahon, com representantes das duas instituições e o consultor em cultura de segurança, José Manuel Diaz Francisco.

Segundo a médica e pesquisadora do Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador e Ecologia Humana (Cesteh) da Fiocruz, Marisa Moura, é comum que profissionais da saúde não perguntem a seus pacientes sobre exposições a produtos químicos para fazer o diagnóstico sobre alguma doença.

“É fácil traçar um paralelo entre um fator químico e uma patologia quando o enfermo passa por uma exposição aguda, como uma explosão em alguma fábrica, por exemplo. Mas é preciso que médicos em geral também atentem para as exposições crônicas e em longo prazo, perguntando, por exemplo, onde o paciente trabalhou e a quais substâncias ele esteve exposto de forma constante”, orientou Marisa.  

Para o médico e representante da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) na Conasc, Newton Richa, a criação do seminário será útil para alertar a classe médica sobre a necessidade de mais cuidados relacionados à toxicologia.

“Se um médico não avaliar o histórico de exposição de um paciente a alguma substância, pode acabar tratando uma doença gerada por componentes químicos com mais química e agravar ainda mais o estado do doente”, salientou Newton.

Ao final do encontro, os representantes da Fiocruz e da Conasc afirmaram que irão estudar como elaborar uma programação atrativa para o seminário, que deve ocorrer em um sábado em data a ser definida.