CRM convoca SES para discutir repasses para UPAS

28/03/2018


O CREMERJ agendou uma reunião com a Secretaria de Estado de Saúde (SES) na próxima terça-feira, 3, para discutir o atraso no repasse de verbas para as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) administradas por Organizações Sociais (OS) no estado do Rio.

Em reunião realizada no Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro (SinMed-RJ), nessa quarta-feira, 28, médicos da UPA Tijuca, em greve desde o dia 28 de fevereiro, afirmaram estar sofrendo pressão interna para interromper o movimento. A unidade é gerida pela OS Associação Hospital e Maternidade Therezinha de Jesus (HMTJ), também responsável pelas UPAS de Botafogo, Copacabana e Jacarepaguá.

A paralisação começou por conta de salários atrasados e das precárias condições de trabalho no local, como falta de medicamentos,  materiais e insumos, além do funcionamento inconsistente de equipamentos e do laboratório. Segundo os grevistas, a HMTJ está contratando médicos para a UPA por meio de Recibo de Pagamento a Autônomo (RPA), sem vínculos trabalhistas, como uma forma de furar a paralisação.

O diretor médico da HTMJ, Thiago Magalhães, afirmou que os clínicos contratados por RPA são chamados apenas para suprir faltas na escala e salientou que a OS não pretende interferir na greve: “Entendemos os motivos da paralisação e respeitamos a decisão dos profissionais, mas dependemos da liberação de verbas para poder pagar os funcionários e realizar melhorias na unidade”, disse.

Atualmente, pacientes que se dirigem à UPA Tijuca passam por uma triagem classificatória: aqueles avaliados em estado amarelo ou vermelho são atendidos no local e os demais são encaminhados para outras unidades.

Durante a reunião, representantes do CREMERJ, da HMTJ e do Sinmed-RJ concordaram que a greve é legítima e um direito dos trabalhadores, desde que respeite todos os compromissos éticos da profissão: “É imprescindível o atendimento a todas as emergências e a elaboração de registros médicos de todos os pacientes que chegarem à UPA, até mesmo de quem for redirecionado para outras unidades”, destacou o diretor do CRM Gil Simões.

Também esteve presente no encontro o coordenador da Comissão de Saúde Pública do CREMERJ, Pablo Vasquez.