SMS do RJ remanejará médicos especialistas para atuar na ESF

12/03/2018


O CREMERJ se reuniu com representantes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) do Rio de Janeiro, nessa segunda-feira, 12, para discutir a implementação do projeto de Extensão de Carga Horária dos médicos estatutários do município de 20h para 40h semanais. A proposta visa realocar médicos especialistas para cobrir o déficit de recursos humanos das unidades de Estratégia de Saúde da Família (ESF).

De acordo com SMS, atualmente a ESF está com carência de 180 médicos. O superintendente da Atenção Primária, Leonardo Graever, informou que a SMS enviou o comunicado para os médicos especialistas que atuam nos Centros Municipais de Saúde ou nas policlínicas, que são referência para atendimento das demandas da atenção primária.

Segundo a subsecretária de Gestão de Pessoas do Município, Patrícia Kaufmann, esse projeto será um programa piloto que será inserido em duas ou três unidades da ESF, a princípio.  "Esse remanejamento só será feito com os funcionários que mostrarem interesse em atuar como médico da Estratégia Saúde da Família. Essa mudança para a prefeitura é vista como valorização profissional".

Para o presidente do Conselho, Nelson Nahon, a proposta é clara e pode vir  a prejudicar o atendimento especializado.

"Essa ideia não resolve os problemas da ESF e ainda pode gerar outros, inclusive com prejuízo à assistência das especialidades em algumas localidades que possuem falta desses profissionais", afirma Nahon.

Para o coordenador da Comissão de Saúde Pública do CREMERJ, Pablo Vazquez, esse remanejamento é uma forma da prefeitura contingenciar as verbas destinadas à Saúde.

"Mesmo que os estatutários do município trabalhem realocados com uma carga horária extra e com bonificação salarial, isso não irá suprir as carências que a Estratégia da Família apresenta. É preciso que o município equipare os salários dos médicos da rede e que realize concursos públicos para acabar com a falta de RH", disse Vazquez.

Também participou da reunião o diretor do CRM, Gil Simões.

 

Na foto: Gil Simões, Nelson Nahon, Leonardo Graever,

Patrícia Kaufmann e Pablo Vazquez