Seminário reúne representantes de seccionais e subsedes

10/11/2017


O XXVI Seminário Interno dos Conselheiros do CREMERJ reuniu conselheiros e representantes de seccionais e subsedes para debates sobre a situação da Saúde no Rio de Janeiro. Durante o evento, realizado nos dias 10 e 11 de novembro, foram discutidos os desafios da saúde suplementar, as ações das Comissões de Defesa das Prerrogativas do Médico (Codeprem), o ato médico, as novas tecnologias implantadas no CRM, a importância da avaliação para prática de exercício físico e os resultados das pesquisas sobre cirurgia cardíaca pediátrica e situação da Baixada Fluminense.

Segundo o presidente do CRM, Nelson Nahon, este é o momento em que o Conselho tem para discutir entre seus integrantes a saúde pública federal, municipal e estadual.

"Esse é um evento importante para que possamos aprofundar ainda mais o nosso conhecimento da realidade e nos prepararmos para a luta em defesa de melhorias para nossa categoria e dos nossos pleitos, além de enfrentar a crise na saúde pública do Rio de Janeiro", explicou Nahon.

Foram ministradas as seguintes palestras:


1- Os desafios da saúde suplementar, com o diretor José Ramon Blanco. Foi abordado os principais pontos de divergência do novo projeto de lei da saúde suplementar;

2- Codeprem e o ato médico, com a diretora Marília de Abreu. A palestra abordou a importância da Comissão de Defesa das Prerrogativas dos Médicos (Codeprem) na defesa do ato médico;

3- As novas tecnologias do CREMERJ, com o vice-presidente e diretor responsável pela Secretaria de Comissões e Câmaras Técnicas (Seccat) do CRM, Renato Graça. A conferência apresentou as duas novas tecnologias introduzidas este ano: o aplicativo CREMERJ e a TV CREMERJ.

4- Ações do CFM, com o conselheiro do CREMERJ e diretor do Conselho Federal de Medicina (CFM), Sidnei Ferreira. A palestra apresentou um balanço das principais atividades da entidade em 2017.

5- A importância do exercício físico, com o vice-presidente do CREMERJ, Serafim Borges. Na palestra, o diretor explicou como médicos não cardiologistas podem avaliar se seu paciente está apto a realizar atividade física com segurança.

6- Pesquisa sobre Cirurgia Cardíaca Pediátrica, Serafim Borges, que também é coordenador do Comitê de Monitoramento do Serviço de Cardiologia Pediátrica do CREMERJ, apresentou os resultados da pesquisa do Conselho sobre a situação da cardiopatia congênita no Estado do Rio de Janeiro.

7- Pesquisa da Baixada Fluminense, com o diretor Gil Simões. Por meio de números e gráficos, o conselheiro demonstrou a situação da saúde pública na Baixada Fluminense.

8- Desmonte do Sistema Único de Saúde (SUS), com o conselheiro Pablo Vazquez, que coordena a Comissão de Saúde Pública do CREMERJ. Foi feita uma apresentação detalhada sobre a crise nos hospitais universitários e nas redes federais, estaduais e municipais de saúde, apresentando uma retrospectiva dos principais problemas da Saúde enfrentados em 2017.