Academia Brasileira de Medicina Militar completa 75 anos

16/12/2016


O diretor do CREMERJ José Ramon Blanco representou o Conselho durante sessão solene que celebrou o Jubileu de Diamante, relativo ao 75º aniversário, da Academia Brasileira de Medicina Militar (ABMM), nessa sexta-feira, 9. Na ocasião, também aconteceu a entrega da Medalha de Alta Distinção aos diretores de saúde das Forças Armadas e Forças Auxiliares do Estado do Rio de Janeiro, além da posse de novos membros eméritos e titulares da entidade.

“A academia tem uma vasta contribuição para a sociedade brasileira. No período de guerra teve uma atuação muito importante e hoje desenvolve trabalho fundamental nos municípios onde o poder público não oferece condições necessárias, como na Região Amazônica. Tudo isso sem se descuidar dos grandes centros e de suas unidades de excelência, como o Hospital Naval Marcílio Dias”, disse o conselheiro José Ramon Blanco, que também é presidente da Somerj.  

Durante a solenidade, o presidente da ABMM, o contra-almirante Manoel de Almeida Moreira Filho, dividiu a mesa com as autoridades: o comandante da marinha Eduardo Barcellar Leal Pereira; o almirante de esquadra Ilques Barbosa Junior; o comandante do Primeiro Distrito Naval Leonardo Puntel; o vice-almirante médico Sérgio Ferreira; o contra-almirante Tibério Cesar Menezes Ferreira; o vice-almirante médico José Carlos Monteiro de Melo; o vice-almirante Cesar da Silva; o ex-diretor de saúde da Marinha e ex-presidente da ABMM Celso Barbosa Montenegro; e o contra-almirante médico Carlos Martins da Silva.

“A Academia Brasileira de Medicina Militar comemora seus 75 anos de fundação, que ocorreu em um momento triste da história, que foi a Segunda Guerra Mundial. A ABMM surgiu da necessidade que as especialidades médicas, tanto militares quanto civis, tinham de se entrelaçar com as mesmas condutas. Nossa parceria com o CREMERJ é seguir exatamente todos os preceitos ditados pelo Conselho”, disse o presidente da ABMM.
 
Os membros titulares e eméritos empossados foram: José Amalth do Espírito Santo, Rubens Ricardo Britto Coimbra, Marcos Norberto Giordano, Carlos José Francisco Cardoso, Orlando de Carvalho e Placidino Guerrieri Brigagão.