Judicialização é tema de fórum em Barra Mansa

08/09/2016


A Associação Médica de Barra Mansa (AMBM) promoveu neste sábado, 3, o 1º Fórum do Direito Médico e Defesa. O evento abordou assuntos referentes à judicialização da medicina e esclarecimentos acerca dos direitos de pacientes e médicos. O CREMERJ foi representado pelos diretores Nelson Nahon e Marília de Abreu, além do assessor jurídico Marconde Alencar de Lima.

Durante a abertura, o presidente da AMBM, Luis Antônio Roxo Fonseca, falou sobre o objetivo do encontro, que era compartilhar com os médicos discussões sobre temas jurídicos. Apesar de assuntos do tipo não receberem destaque no currículo acadêmico, segundo ele, são essenciais à boa conduta do profissional da atualidade nas mais variadas situações cotidianas da carreira médica e da saúde pública e privada. Luis Antônio também acrescentou que a intenção era mostrar aos magistrados a realidade vivenciada pelos médicos, de forma que haja uma comunicação efetiva entre esses dois ramos de conhecimento.

As palestras tiveram como tema central o Direito Médico e Saúde, a Judicialização da Saúde, o Erro Médico e Código de Defesa do Consumidor e a Atuação Médica. Representando o CREMERJ, Nelson Nahon discorreu sobre vínculos empregatícios precários e as atuais condições de trabalho dos médicos. Já Marília de Abreu falou sobre os mecanismos de prevenção, dentre elas, a relação médico-paciente, e o mecanismo de defesa do médico, que é o prontuário.

“Os processos na área da saúde vêm crescendo muito nos últimos anos, mas muitos desses conflitos poderiam ser evitados. Essa troca de conhecimento entre o Pode Judiciário e as entidades médicas é muito importante para que cada vez menos a Justiça seja a solução para resolver questões entre médicos e pacientes”, declarou Nahon.

Também participaram do fórum o coordenador da seccional de Barra Mansa do CREMERJ, Bernardo Romeo Calvano; o secretário-geral da Associação Médica do Estado do Rio de Janeiro (Somerj), Benjamin Batista de Almeida; e o perito estadual Júlio César Meyer.