I Fórum de Integração do Médico Jovem é realizado em Brasília

15/08/2016


O Conselho Federal de Medicina (CFM) realizou nesta quarta e quinta-feira, 10 e 11, em Brasília, o I Fórum Nacional de Integração do Médico Jovem. Durante os dois dias, estudantes de medicina e representantes de entidades médicas e dos residentes abordaram temas relacionados ao ensino e à residência médica no Brasil, à saúde mental do médico jovem, à situação judicante e às ações dos Conselhos de Medicina voltadas para este público. O presidente do CREMERJ, Pablo Vazquez, o diretor Gil Simões, o conselheiro do CREMERJ e do CFM Sidnei Ferreira e membros da diretoria da Associação dos Médicos Residentes do Estado do Rio de Janeiro (Amererj) representaram o Estado fluminense no encontro. 

Durante a abertura, o presidente do CFM, Carlos Vital, defendeu a qualidade dos cursos de graduação e enalteceu a especialização como indispensável na medicina:  “Na nossa profissão prestamos cuidados a um ser em permanente transformação. Vocês são o futuro e este tem que ser planejado e bem construído”.

As diversas mesas redondas e palestras discutiram temas como a formação médica, a obrigatoriedade da residência médica de um ano em medicina da família e comunidade, o uso das mídias sociais, a dependência química entre médicos, os fundamentos éticos no início de carreira e os processos éticos envolvendo o médico jovem. 
 
O presidente da Amererj, João Felipe Zanconato, trouxe reflexão sobre o crescente fenômeno de migração de residentes de unidades do Sistema Único de Saúde (SUS) para instituições particulares e o reflexo na saúde pública. Já o diretor administrativo da associação, Vitor Alvarenga, discorreu sobre o subfinanciamento e a inadvertida falta de repasses aos hospitais públicos, sobretudo hospitais universitários, ocasionando redução de leitos e piora na qualidade da formação médica e dos residentes.

O ex-presidente da Amererj, Diego Puccini, apresentou um relato das condições das residências médicas no Rio de Janeiro e expôs a crise em alguns hospitais do Estado, com destaque para o Pedro Ernesto (Hupe), ligado à Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), e o Clementino Fraga Filho (HUCFF), pertencente à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Puccini também falou sobre as ações do Movimento Nacional de Valorização da Residência Médica, no Rio de Janeiro, e o resultado de uma pesquisa realizada com os residentes do Estado, que revelou que os anseios dos futuros médicos. 

O coordenador da Comissão de Recém-Formados do CREMERJ, conselheiro Gil Simões, enfatizou que a realização do fórum foi importante para aproximar os jovens médicos das instituições, dos Conselhos Regionais e do Conselho Federal, além de colocá-los nas discussões políticas atuais que envolvem a medicina. 

“Os temas debatidos no encontro são atuais e dizem respeito diretamente à atuação profissional desses jovens, que são o futuro da medicina. Essa troca de experiência entre os recém-formados e profissionais mais experientes é enriquecedora para todos”, declarou. 

Ao final do evento, foi redigido um documento que contará com as assinaturas do CFM, da Associação Nacional de Médicos Residentes (ANMR) e da Associação Médica Brasileira (AMB). O texto será encaminhado para áreas responsáveis com o intuito de garantir melhorias nas políticas médicas.

Também participaram do evento os diretores da Amererj Luiz Fernando Rodrigues e Layla Lorena Bezerra de Almeida.