Secretaria de Saúde fecha UPA em Angra dos Reis

10/03/2016


A falta de verbas para a saúde resultou no fechamento de mais uma Unidade de Pronto-Atendimento no estado do Rio. Na última terça-feira, 8, a Secretaria de Saúde do município de Angra dos Reis fechou a UPA da cidade, que funcionava próxima ao Hospital Geral da Japuíba (HGJ), prestando assistência a casos de urgência e desafogando a porta de entrada no HGJ.

O CREMERJ esteve na UPA de Japuíba e todos equipamentos e mobília já foram retirados. Os pacientes internados na UPA tiveram que ser transferidos para o HGJ, o que sobrecarregou o hospital, que já sofre com a falta de profissionais e insumos.

“O fechamento da UPA de Japuíba causa muitos problemas para o Hospital Geral, que não tem condições de receber o excedente de atendimentos. A unidade funcionava como uma triagem para o HGJ, sem a UPA, a população está sofrendo nas filas, à espera de assistência”, afirma Ilmar Bezerra, representante do CREMERJ na seccional de Angra dos Reis. 

No Hospital Geral, visivelmente lotado, os pacientes estão internados de forma improvisada e dividindo espaços reduzidos, com uma estrutura precária de atendimento. O fechamento da UPA se deu após uma série de tentativas da Secretaria de Saúde do município de fechar unidades e remanejar profissionais, visando à diminuição de gastos. A Secretaria de Saúde alega que o Estado deixou de repassar 4,4 milhões para o município. 

Em janeiro de 2016, a Policlínica da Cidade, localizada no Centro, foi desativada para a abertura de um Serviço de Pronto-Atendimento em um espaço cedido pela Santa Casa e anexo ao hospital. 

No entanto, os profissionais afirmam que o novo espaço não atende à necessidade do atendimento à população. A intenção inicial, com a desativação da Policlínica do Centro, era remanejar médicos para o HGJ, que conforme já foi dito, há tempos sofre com o déficit de profissionais. Em reuniões com CREMERJ e médicos da unidade, a secretaria recuou quanto à possibilidade de transferência os profissionais.

“É inaceitável que mais unidades sejam fechadas por falta de verba e repasses estaduais. O fechamento de UPAs traz um impacto muito negativo na assistência à população, sobretudo em um município como Angra dos Reis, que tem poucas unidades. O CREMERJ está na luta para que a população de Angra dos Reis tenham um atendimento de qualidade e que os médicos voltem a ter boas condições de trabalho”, afirmou o Vice-presidente do Conselho, Nelson Nahon. O CREMERJ estuda entrar com uma ação no Ministério Público para denunciar a situação da saúde no município.