Entidades entram com ações para impedir punição de médicos

18/02/2016


O CREMERJ e o Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro (Sinmed-RJ) se reuniram com suas assessorias jurídicas nessa segunda-feira, 15, para elaborar estratégias que possam reverter a punição sofrida por médicos estatutários dos hospitais da prefeitura. As retaliações se devem ao movimento deflagrado pela categoria, em 2011, por salários dignos e condições adequadas de trabalho, que resultou na suspensão do preenchimento das Autorizações de Internações Hospitalares (AIHs), decidido em assembleia. 
 
As entidades médicas planejam entrar com ações judiciais para anular as penalidades. Além disso, o CREMERJ e o Sinmed-RJ pretendem fazer uma nota de repúdio às punições e agendar audiências com o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz; com o secretário municipal de Administração, Marcelo Queiroz; e com representantes da Comissão de Saúde da Câmara dos Vereadores. 
 
A punição da Secretaria Municipal de Administração (SMA) com repreensão foi publicada no dia 4 de janeiro no Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro. No entanto, desde janeiro de 2015, os médicos começaram a ser convocados para depor no inquérito devido ao não preenchimento das AIHs no movimento de 2011. No decorrer do ano passado, o CREMERJ se reuniu com os colegas dos hospitais para debater o assunto e traçar os necessários encaminhamentos. 
 
“Repudiamos essa punição, pois o movimento foi justo e ético. Está claro que a atitude da prefeitura se trata de uma ação de retaliação, cujo objetivo é estancar o surgimento de outros movimentos, que levem a melhoria das condições de remuneração dos médicos e de atendimento à população”, declarou o vice-presidente do CREMERJ, Nelson Nahon.