CREMERJ recebe novo gestor do DGH-RJ

05/02/2016


A diretoria do CREMERJ recebeu nessa quarta-feira, 3, o novo gestor do Núcleo Estadual no Rio de Janeiro (Nerj) do Ministério da Saúde, Paulo Henrique Melo, e sua assessora Rosa Amélia Queiroz. O encontro teve como objetivo conhecer as estratégias deste ano do Departamento de Gestão Hospitalar do Rio de Janeiro (DGH-RJ) para aos hospitais federais do Estado e também para os universitários.
 
Na ocasião, o presidente do CREMERJ, Pablo Vazquez abordou a crise na saúde do Rio de Janeiro e relatou as ações que o Conselho realizou para auxiliar as unidades hospitalares que apresentaram problemas, como a audiência com o ministro da Saúde, Marcelo Castro, e com parlamentares, em Brasília, no dia 17 de dezembro. Vazquez também destacou os problemas enfrentados pelos hospitais universitários federais e cobrou um posicionamento sobre a regularização dos repasses de verbas e a compra de medicamentos para os hospitais Clementino Fraga Filho (Fundão), Pedro Ernesto (Hupe), Antônio Pedro (Huap) e Gaffrée e Guinle. 

O diretor do Nerj, Paulo Henrique Melo, explicou que está sendo feito um levantamento sobre a situação atual dos seis hospitais federais no Estado (de Bonsucesso, do Andaraí, dos Servidores do Estado, de Ipanema, da Lagoa e Cardoso Fontes) e que cada unidade terá um planejamento estratégico de acordo com seu perfil. Os hospitais universitários também passarão por essa análise. 
 
“Estamos montando uma equipe gestora de excelência para o Rio de Janeiro. Reestruturamos algumas administrações e partir de agora faremos os planejamentos. Nossa intenção é aperfeiçoar as ações e proporcionar uma assistência de qualidade para a população”, explicou Melo.
 
Outro ponto destacado foi a necessidade da realização de concurso para novos médicos. Rosa Amélia explicou que o DGH-RJ está preparando um dimensionamento sobre a necessidade de recursos humanos para cada unidade. Esse documento, segundo ela, será encaminhado para a avaliação dos Ministérios da Saúde e do Planejamento. Com a aprovação das pastas, o próximo passo será a realização do certame. 
 
Na sequência, os diretores do CREMERJ fizeram questionamentos sobre o sistema de regulação, relatando transtornos desse processo para médicos e pacientes, e pediram informações sobre os planos da DGH-RJ para amenizar essa situação. Os gestores reforçaram a ideia de que é preciso abrir um diálogo entre as três esferas públicas para que novos procedimentos sejam definidos. Durante o encontro, foi sugerida a realização de um fórum para debater o tema, com a participação do CREMERJ, do Ministério da Saúde, dos governos municipal e estadual e também dos médicos.  
 
“Os problemas do sistema de regulação precisam ser sanados. O principal é suprir a falta de comunicação entre os entes federal, estadual e municipal. O CREMERJ tem todo o interesse em participar dessa discussão e contribuir para melhorar a situação hoje existente”, disse Vazquez. 
 
Também participaram da reunião os diretores Gil Simões e Érika Reis e o conselheiro Aloísio Tibiriçá.