Residentes se reúnem no CREMERJ para planejar próximos atos

06/10/2015


Médicos residentes do Rio de Janeiro se reuniram na última quarta-feira, 30 de setembro, na sede do CREMERJ, para avaliar os resultados do ato público e da paralisação realizados no último dia 24 e para discutir os próximos passos em prol do Movimento Nacional de Valorização da Residência Médica.

Cerca de 30 residentes de diferentes instituições de saúde participaram da assembleia e todos concordaram sobre a boa repercussão que as ações tiveram, especialmente dentro das instituições em que atuam, mas acreditam que ainda há muito a fazer. “A mobilização na semana passada foi um sucesso, mostramos que somos capazes de nos unir na busca dos mesmos objetivos. Agora, precisamos debater sobre como será a nossa estratégia daqui pra frente”, afirmou Diego Puccini, presidente da Associação Médica do Estado do Rio de Janeiro (Amererj).

O cenário político e econômico do país foi apontado como uma preocupação. “Estamos passando por um momento difícil. A crise econômica mundial e no nosso país prejudica a assistência médica, mas vamos continuar a nossa luta por uma saúde digna para a população”, apontou Pablo Vazquez, presidente do CREMERJ, que aproveitou a abertura do encontro para reiterar o apoio à causa. “Temos que defender e aprimorar a residência médica. Vamos continuar dando todo o apoio a vocês nesta luta, que é uma luta ética”, enfatizou.

O coordenador da Comissão de Médicos Recém-Formados do CREMERJ, conselheiro Gil Simões, também participou do encontro e aproveitou a ocasião para reforçar a importância da união da categoria médica, convidando a todos para o evento que será realizado no Dia do Médico, 18 de outubro, na Praia de Copacabana.

Na assembleia, representantes de algumas das principais instituições de saúde do Rio de Janeiro relataram os comentários positivos que ouviram entre os residentes sobre o ato público do dia 24 e se mostraram preocupados sobre como o movimento vai caminhar daqui para a frente.

O diretor da Amererj João Felipe Zanconato atualizou os residentes sobre a nota técnica que a entidade recebeu do Ministério da Educação como resposta às reivindicações do movimento e alertou sobre a dificuldade em agendar uma reunião com o órgão do governo federal.  O assunto será levado para discussão no III Fórum do Médico Jovem, que está marcado para os dias 14 e 15 de outubro, em Florianópolis (SC). Ele salientou ainda a importância de manter a união com os outros Estados. “No dia 24, fizemos uma manifestação que reuniu de forma pacífica mais de 18 mil pessoas pelo Brasil inteiro.”

No evento, ficou decidido que a Amererj produzirá materiais informativos sobre o Movimento Nacional de Valorização da Residência Médica para serem distribuídos entre os profissionais de saúde e estudantes de medicina e que, no dia 28 de outubro, os médicos residentes farão uma doação de sangue coletiva como forma de manifestação em favor do movimento. A expectativa é que haja adesão também dos residentes de outros Estados.

Na quarta-feira, 19 de outubro, a partir das 19h, será realizada uma nova assembleia na sede do CREMERJ para organizar os últimos detalhes do mutirão de doação de sangue e para planejar outras ações com base no que for acordado no III Fórum do Médico Jovem. “Cabe a nós sairmos daqui e fomentarmos a conscientização e a mobilização dentro das instituições em que trabalhamos”, finalizou Puccini.