Conselho participa do Fórum Perinatal da Região Metropolitana

25/08/2015


A vice-presidente Ana Maria Cabral e a diretora Marília de Abreu representaram o CREMERJ na 3ª Reunião do Fórum Perinatal da Região Metropolitana I do Rio de Janeiro, nessa quarta-feira, 19, no auditório do Ministério da Saúde no Rio de Janeiro. Coordenado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), o evento, que reuniu cerca de cem pessoas, foi em cumprimento às diretrizes propostas pelo Ministério da Saúde para o funcionamento da Rede Cegonha no Rio de Janeiro.

O fórum reúne representantes das secretarias municipais de Saúde da Região Metropolitana I que possuem mais de 80 mil habitantes e que, por força de lei, são obrigados a constituir comitês de mortalidade materna: Belford Roxo, Duque de Caxias, Itaguaí, Japeri, Nilópolis, Nova Iguaçu, Magé, Mesquita, Queimados, São João do Meriti, Seropédica e Rio de Janeiro.

A meta é compartilhar conhecimentos e experiências, a fim de contribuir na assistência do período perinatal, ou seja, do início da gravidez ao desenvolvimento da criança em seus dois anos de vida. 

A pauta focalizou dois temas: “Acolhimento e a classificação de risco para as maternidades da região Metropolitana I” e a “Situação dos Comitês Municipais e Estadual de Investigação de Óbito Materno”.

Na ocasião, foram criados grupos de trabalho e foram estabelecidas diretrizes para efetivar as ações necessárias, colaborar com os comitês com dificuldades e fortalecer os que necessitam.  A Fiocruz apresentou, durante o evento, um curso de educação a distância para os participantes do fórum.

Segundo o coordenador da reunião, Egberto Nogueira, coordenador da Área Técnica de Saúde da Mulher, Criança e Adolescente da SES, o Rio de Janeiro ocupa o terceiro lugar no ranking nacional de mortes maternas, atrás do Maranhão e do Piauí. “Nosso esforço maior é para mudar este quadro, implementando melhorias no cuidado materno-infantil e reduzindo as taxas de mortalidade”, afirmou.

Ele destacou a importância da realização de parcerias para que esses objetivos sejam alcançados: “A presença do CREMERJ é importante para o apoio, a orientação e a implementação das ações propostas para os profissionais da área médica no que diz respeito a mudanças de ações e da forma de trabalho”.

O objetivo principal do fórum é instituir condutas de avaliação da assistência dada à mulher no pré-natal, parto, aborto espontâneo, puerpério e ao recém-nascido e à criança menor de dois anos, nos municípios da região, relacionadas com as causas de mortalidade materna, perinatal e infantil.

Além do CREMERJ, outros representantes de entidades apoiadoras da iniciativa estiveram presentes, como os Ministérios Públicos Federal e Estadual, a Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz (ENSP), o Conselho Nacional de Saúde (CNS), o Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (Cedim) e a Rede Nacional Feminista de Saúde, Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos. O fórum tem ainda o apoio de universidades, maternidades, entidades de classe e da sociedade civil organizada.