CREMERJ participa de sessão pública do Testemunho da Verdade

03/08/2015


O vice-presidente e o diretor do CREMERJ, Nelson Nahon e Gil Simões, estiveram presentes no Testemunho da Verdade sobre o Hospital Central do Exército (HCE), realizado pela Comissão da Verdade do Rio de Janeiro, em parceria com o projeto Clínicas do Testemunho do Rio de Janeiro, nessa quinta-feira, 30, no auditório da Caixa de Assistência dos Advogados do RJ (CAARJ).
 
Presidida pela presidente da Comissão da Verdade do Rio de Janeiro, Rosa Cardoso, o ato teve como principal proposta tornar público o testemunho de presos políticos sobre as torturas sofridas na época da Ditadura Militar, em diversos locais da cidade, inclusive, nas dependências do Hospital Central do Exército (HCE). "Estamos aqui para informar à sociedade aquilo que foi silenciado por anos. Esses cidadãos agredidos têm o direito de saber o que aconteceu com eles", disse Rosa, em alusão ao desaparecimento dos prontuários médicos de dezenas de presos políticos, no HCE.
 
O procurador da República, Sérgio Suiama, falou das investigações feitas a respeito da morte, após tortura, do militante Raul Amaro, dentro do Hospital, e também sobre a ocultação dos prontuários. Após uma denúncia bastante explícita, o Ministério Público e a Polícia Federal foram até o Hospital do Exército e encontraram centenas de prontuários jogados no lixo, contou o procurador.
 
Segundo o CREMERJ, cada hospital é responsável pelos prontuários médicos e é obrigado a cedê-lo, em caso de solicitação feita pelo paciente. Nelson Nahon comentou o fato do Conselho já participar há bastante tempo das apurações do período da ditadura. "O CREMERJ esteve no HCE e solicitou a documentação de oito ex-presos políticos, entre eles, do Raul Amaro. É importante frisar que estamos juntos na luta pela liberdade e democracia desse país", afirmou.
 
Coordenadora do Projeto Clínicas do Testemunho do Rio de Janeiro, Vera Vital Brasil, reiterou a importância da participação do CREMERJ em todo o processo de investigação e denúncia. "Quando foram encontradas as diversas irregularidades no HCE, imediatamente, o Conselho se uniu a nós", lembrou Vera.