Diretores do CREMERJ se reúnem com secretário de Saúde do RJ

08/09/2014


Representantes do CREMERJ estiveram, nessa quarta-feira, 3, na Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro (SMS) para uma reunião com o atual secretário, Daniel Soranz. Entre os assuntos debatidos, destacaram-se o sistema de regulação de vagas, a situação dos profissionais do programa “Mais Médicos” na cidade e o estado dos hospitais do município, como o Salgado Filho e o CTI pediátrico do Souza Aguiar.
 
O vice-presidente do CREMERJ, Nelson Nahon, e os diretores Gil Simões e Erika Reis relataram ao secretário e à subsecretária de Promoção, Atenção Primária e Vigilância em Saúde, Betina Durovni, os transtornos que a regulação vem causando às unidades pela dificuldade de diálogo entre os três entes – federal, estadual e municipal – e as dúvidas existentes.
 
“Sabemos que a regulação é importante, mas a falta de definições tem feito com que isso se torne um problema. Muitos colegas não sabem como proceder, então nós vamos realizar um fórum com a presença dos representantes das três esferas para entender melhor o funcionamento da regulação e ver de que forma podemos ajudar a melhorar”, disse Nahon.
 
Segundo o secretário, nos próximos dois anos e meio de gestão, o objetivo é investir na residência médica e na pós-graduação, tornando os hospitais municipais referência em ensino.
 
“Queremos que as nossas unidades ofereçam o melhor atendimento. Vamos focar na ampliação da residência e da pós-graduação. Nessa gestão, priorizaremos um programa estruturante, com infraestrutura, condições de trabalho e programa de formação. A saúde primária continuará em evidência, porém agora podemos estender investindo mais nos hospitais”, afirmou Soranz.
 
Ao ser questionado sobre o Salgado Filho, o secretário garantiu que está se esforçando para trazer medidas a curto prazo ao hospital, embora a solução definida deverá ser implantada em meados de 2016. Nelson Nahon também indagou sobre a situação da Coordenação de Emergência Regional (CER) da Barra da Tijuca, em que o CREMERJ constatou o déficit de recursos humanos e outras irregularidades. Soranz, por sua vez, comprometeu-se em fazer uma intervenção na unidade nos próximos 90 dias. Com relação ao CTI pediátrico do Souza Aguiar, o gestor disse que está estudando uma solução, porém não citou um prazo.

Quanto aos profissionais do programa “Mais Médicos”, Betina Durovni informou que enviará ao CREMERJ a lista com a localização de onde eles estão atuando no município.
 
“Nós temos um compromisso com a população e com os médicos. Nas unidades que fiscalizamos após denúncias, constatamos que os médicos estrangeiros atuavam sem supervisor e sem tutor, contrariando a lei. Queremos que o governo cumpra a lei e não exponha os colegas nem os pacientes”, disse Gil Simões, que coordena a Comissão de Fiscalização do Conselho.
 
Na ocasião, o CREMERJ pediu a intervenção do secretário de Saúde com relação aos processos administrativos contra médicos, devido à última greve da categoria pelo município. Na época, as AIHs (Autorização de Internação Hospitalar) não estavam sendo emitidas. Já Soranz disse que tentará dialogar com o secretário municipal de Administração, Paulo Jobim Filho, sobre o caso. O CREMERJ espera que esses processos sejam extintos.
 
No término da reunião, a diretoria do Conselho entregou para o secretário um dossiê contendo o relatório de todas as fiscalizações realizadas em 2014.
 
A diretoria do CREMERJ e o secretário de Saúde se reunirão novamente em outubro.