CREMERJ participa do 10º aniversário da Assomero

12/08/2014


 

O CREMERJ participou das comemorações pelo 10º aniversário da Associação Médica de Rio das Ostras (Assomero), nessa sexta-feira, 25. A entidade, presidida pelo ginecologista e obstetra André Gervásio, prestou homenagem aos seus fundadores e ex-presidentes.

Integraram a mesa solene, ao lado do presidente André Gervásio, o presidente do Conselho, Sidnei Ferreira; o conselheiro do CREMERJ e presidente da Associação Médica do Estado do Rio de Janeiro (Somerj), conselheiro José Ramon Blanco; e os representantes da presidência da Unimed Costa do Sol, Gumercindo Faria; da Secretaria Municipal de Saúde  Paulo Artur Prazeres; e dos fundadores da Associação Médica de Rio das Ostras Gilson da Cunha.

Em seu discurso, o presidente da Assomero fez um retrospecto da história da entidade e suas lutas passadas e atuais, quando teceu críticas aos problemas do ensino médico no Brasil e ao sucateamento do sistema público de saúde.

“Para solucionar o caos instalado pela falta de financiamento e ausência de uma política de Estado para o sistema e para os profissionais médicos, o atual governo lançou um programa equivocado, que expõe a população”, disse André Gervásio.

O presidente do CREMERJ, Sidnei Ferreira, iniciou seu discurso exaltando a importância da preservação da história:

“O Conselho tem feito isso na prática, como na homenagem que preparamos para os médicos formados há 50 anos e no evento que promovemos para comemorar os 20 anos da luta pela reconstrução mamária das mulheres que tiveram câncer.  Não havia lei garantindo esse direito. Uma iniciativa da Câmara Técnica de Cirurgia Plástica do CREMERJ, por sinal, a primeira do Brasil, mobilizou a classe médica e os políticos e resultou nessa importante conquista feminina”, disse.

Sidnei Ferreira não deixou de mencionar as lutas que o CREMERJ vem empreendendo em busca de melhores condições de trabalho para os médicos e de um atendimento de qualidade para a população. Foi  salientado o sucesso das ações e pressões que resultaram na reativação de hospitais, como a Santa Casa do Rio de Janeiro,  e de clínicas da família, como a de Nova Iguaçu. 

“Estamos todo tempo preocupados com a valorização da nossa profissão e com a qualidade do atendimento à população. Para termos uma medicina de qualidade precisamos de salários e condições dignas de trabalho, concurso público, plano de cargos, carreira e vencimentos. Medicina é uma profissão muito especial. Ela requer condições de trabalho e estudo permanente. Para prestarmos atendimento digno precisamos cuidar bem de nós mesmos e das nossas famílias”, disse.  

O presidente concluiu reafirmando o compromisso do CREMERJ de estar sempre junto às entidades médicas.

Na ocasião, a Assomero fez entrega de placas homenageando fundadores e ex-presidentes da Associação. Coube ao presidente do CREMERJ entregar a placa destinada ao ex-presidente Gilson da Cunha. O presidente da Somerj fez a entrega da placa de Alberto Baldez, ausente por motivo de viagem e representado pelo ex-diretor Sérgio Pina. A placa em homenagem ao ex-vice-presidente e fundador João Horta, falecido em maio, foi entregue por Gilson da Cunha à viúva do médico.

O vice-presidente do CREMERJ, Nelson Nahon, também participou das comemorações.