Projeto que prevê a redução de infartos é lançado no RJ

21/07/2014


O CREMERJ participou do lançamento da Linha de Cuidados do Infarto do Miocárdio para unidades de urgência e emergência do Estado, nesta quinta-feira, 17, na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). Promovido pela Secretaria Estadual de Saúde, o projeto tem o objetivo de capacitar profissionais de saúde da região metropolitana para agilizar o diagnóstico e ajudar a diminuir o número de mortes pela doença no Rio de Janeiro.
 
O estudo foi elaborado por uma equipe de cardiologistas e gestores e conta com a parceria da Uerj. A ideia é recomendar a adoção de um padrão de atendimento em toda a rede pública de saúde. De acordo com estimativas do Ministério da Saúde, são registrados por ano, no Brasil, de 300 a 400 mil casos da doença. 
 
Na abertura do encontro, que reuniu gestores, coordenadores de emergências e profissionais da área de saúde, o presidente do CREMERJ, Sidnei Ferreira, destacou a relevância da iniciativa para a população do Rio de Janeiro. Sidnei defendeu a ampliação do projeto para todo o país, devido a sua importância.
 
“Nesse evento, há soluções e trabalhos relevantes, muito dos quais foram discutidos no Grupo de Emergência do Conselho, que é hoje a Câmara Técnica de Emergência do CREMERJ. Esses temas também foram levados para o Conselho Federal de Medicina (CFM) por Aloísio Tibiriçá, que é cardiologista e conselheiro do CREMERJ. Parabenizo a todos que participaram desse projeto”, disse.
 
Na abertura do encontro, o secretário estadual de Saúde, Marcos Musafir, ressaltou que o seminário trará muitos benefícios para a população do Rio de Janeiro, como a diminuição do número de mortes por infarto do miocárdio.
 
“Trata-se de uma parceria para salvar vidas e implantar um novo momento. Agradeço ao CREMERJ pela sensibilidade que tem tido para enfrentar os problemas de saúde em nosso Estado”, afirmou Musafir, relembrando o caso do Hospital Geral da Santa Casa da Misericórdia, em que o Conselho atuou firmemente pela reabertura da instituição.
 
Nas emergências dos hospitais estaduais do Rio de Janeiro, segundo dados da Secretaria Estadual de Saúde, entre janeiro de 2012 e junho de 2013, foram registrados 1.553 atendimentos por infarto (média de 91 casos/mês); nas UPAs, no mesmo período, foram 7.717 casos da doença (média de 453 casos/mês). Dentro deste quadro, de cada cinco a sete casos registrados um evolui para óbito.
 
Além de Sidnei Ferreira e de Marcos Musafir, a mesa de abertura do evento contou com a participação do secretário municipal de Saúde de Duque de Caxias, Camilo Junqueira, que também representou o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems); do vice-reitor da Uerj, Paulo Roberto Dias; da presidente da Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro (Socerj), Olga Ferreira; e da subsecretária de Atenção à Saúde, Monica Almeida.