Audiência pública debate situação dos hospitais federais do RJ

05/06/2014


Em Brasília, o CREMERJ participou da audiência pública, promovida no Senado, que debateu os problemas na assistência à saúde nos hospitais federais, com destaque para o sucateamento da rede no Rio de Janeiro, nessa quarta-feira, 4.

A audiência, que foi conduzida pelo senador Waldemir Moka, contou com a participação do presidente do CREMERJ, Sidnei Ferreira, que representou ainda o Conselho Federal de Medicina (CFM); do presidente do Sinmed-RJ, Jorge Darze, que também falou em nome da Federação Nacional dos Médicos (Fenam); e do secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Fausto Pereira dos Santos; do procurador do Trabalho da Coordenação Nacional de Combate às Irregularidades Trabalhistas na Administração Pública (Conap), Ruy Fernando Cavalheiro; e do diretor de Assuntos Parlamentares da Associação Médica Brasileira (AMB), José Luiz Mestrinho.

Na ocasião, Sidnei Ferreira enfatizou a situação dos hospitais federais e a luta por condições adequadas de trabalho para os médicos e por um atendimento digno para a população. O presidente do CREMERJ também falou sobre a pauta geral do movimento, incluindo a normalização das gratificações por desempenho dos médicos federais, que foram paralisadas, injustamente, após a aprovação da MP 568/2010.

Após essa reunião, as entidades médicas tiveram uma audiência com o ministro da Saúde, Arthur Chioro, agendada para as 18h, para reivindicar mais uma vez a normalização do pagamento dos médicos federais, que permanecem irregulares desde 2012.

Também compareceram à audiência pública os diretores do CREMERJ Nelson Nahon e Erika Reis; o vice-presidente do CFM e conselheiro do CREMERJ Aloísio Tibiriçá; e médicos federais do Estado do Rio de Janeiro.