Entidades debatem PCCV na Câmara de Vereadores do Rio

11/04/2014


Os presidentes do CREMERJ, Sidnei Ferreira, e do Sinmed-RJ, Jorge Darze, foram recebidos em audiência pelo presidente da Câmara Municipal, vereador Jorge Felipe (PMDB), nessa quinta-feira, 10, para tratar da implantação do plano de cargos, carreira e vencimentos (PCCV) para os médicos do município. 

O parlamentar informou que a Câmara não tem poder de iniciativa na área e que o prefeito Eduardo Paes já lhe disse claramente que o caixa do município não comporta despesas extras em 2014. 

O argumento, conforme Jorge Felipe, é de que os aumentos nos vencimentos concedidos aos professores, garis e guardas municipais ultrapassaram muito os tetos previstos no orçamento. 

“O prefeito disse que não abrirá diálogo com nenhuma categoria profissional nem fará gestos que possam forçá-lo a participar de mesas de negociações. Ele quer evitar que tais gestos sejam usados para estimular movimentos grevistas para pressioná-lo”, disse. 

Sidnei e Darze acenaram, no entanto, com a possibilidade de o desejado plano de cargos, carreira e vencimentos entrar em execução em 2015. “Tragam até junho próximo algo palpável, um trabalho com os pleitos da categoria, para que possamos discutir a questão e tentar viabilizar a possibilidade de incluí-la no orçamento do próximo ano”, afirmou o  vereador.

A ideia é fazer ajustes em planos anteriormente enviados ao Executivo municipal e apresentar a proposta no prazo necessário. 

O presidente do Conselho aproveitou a ocasião para apresentar um panorama das deficiências da rede municipal e solicitou que Jorge Felipe auxilie as entidades médicas a serem recebidas em  audiência com o prefeito Eduardo Paes. “Várias unidades municipais vivem situações dramáticas por problemas graves de infraestrutura e falta de pessoal: Salgado Filho, Alexander Fleming e Souza Aguiar, que teve a UTI pediátrica fechada por falta de médicos. Pedimos audiência ao prefeito, que nos encaminhou ao secretário de Saúde.