Residência: CREMERJ e Ceremerj traçam trabalhos conjuntos

27/02/2014



Visando unir forças na luta pela boa formação dos jovens médicos, o CREMERJ e a Comissão Estadual de Residência Médica do Rio de Janeiro (Ceremerj) reuniram-se nesta quinta-feira, 27, na sede do Conselho.

Durante a reunião, o presidente e o coordenador da Comissão de Médicos Recém-Formados do Conselho, Sidnei Ferreira e Gil Simões, respectivamente, e a presidente da Ceremerj, Susana Maciel, debateram, principalmente, sobre a participação das entidades na discussão quanto ao término dos programas de residência dos médicos transferidos para outra unidade, bem como dos aprovados na segunda prova do concurso para os hospitais federais do Rio de Janeiro, realizada no ano passado, já que a que anterior havia sido anulada.

"Gostaríamos de solucionar essas questões politicamente, pois há alternativas para ambos os casos, como o aproveitamento das férias e dos conteúdos. O que queremos é desburocratizar esses processos, de forma a não comprometer o ensino, mas também não prejudicar o residente", frisou Gil Simões.

Outra questão debatida durante a reunião foi o desconto do INSS, que aguarda avaliação do Supremo Tribunal Federal para os residentes vinculados ao Estado e ao município.

"Por uma determinação do Ministério da Saúde, os médicos que fazem residência nos hospitais federais ou universitários têm o desconto do INSS diretamente em folha de pagamento, mas os demais podem optar pela não dedução. Entretanto, esse alternativa pode incidir negativamente no processo de aposentadoria por tempo de serviço, visto que os anos não contarão para a contribuição da previdência", salientou Susana.

O número de vagas para a residência, a valorização da preceptoria e a estrutura das unidades para o aprendizado de qualidade também foram pautas do encontro.

Sidnei Ferreira falou sobre a importância da organização dos residentes no movimento médico e colocou, mais uma vez, o CREMERJ à disposição da Ceremerj, reafirmando a necessidade de aproximação das entidades.

"O CREMERJ, a Ceremerj e a Amererj, juntos, podem - e devem - somar forças e lutar em busca da qualidade da residência, que sabemos que é a melhor e a mais completa forma de especialização médica”, finalizou.