Governo do Rio responde ofício do CREMERJ sobre aposentadorias

18/12/2013


 Na foto, aposentados do Iaserj participam de reunião no CREMERJ 

 

O governo estadual do Rio de Janeiro, finalmente, respondeu ao ofício enviado em agosto pelo CREMERJ, que mostrava preocupação com a situação salarial dos médicos servidores públicos do Estado, principalmente, dos aposentados. Na ocasião, além do documento, o Conselho encaminhou comprovantes de pagamento que provavam que alguns funcionários inativos recebiam proventos de R$ 200, que somando os acréscimos totalizavam a quantia de R$ 1.690,48.  

A pedido do governador Sérgio Cabral, a Secretaria Estadual de Planejamento e Gestão, por sua vez, informou que, de acordo com a Subsecretaria de Carreiras, Remuneração e Desenvolvimento de Pessoas, está em andamento uma proposta de reajuste salarial para os servidores da Secretaria Estadual de Saúde, onde serão contempladas diversas categorias de profissionais, incluindo os médicos.  

Segundo a pasta, a proposta, que está sendo estudada no processo de nº E-08/008/1067/2013, prevê alterações na remuneração dos servidores e, se aprovada, será enviada para votação na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj).

Na época em que o ofício foi enviado, o CREMERJ mostrou indignação com o descaso em relação à situação dos servidores aposentados, que dedicaram anos da sua vida prestando serviços à saúde da população do Estado do Rio de Janeiro.  

O caso dos aposentados também foi levado pelo CREMERJ diretamente ao secretário estadual de Saúde, Sérgio Côrtes, durante uma reunião em novembro. Segundo Côrtes, as Secretarias Estaduais de Saúde e de Planejamento estão preparando um estudo que prevê a incorporação do GEELED – Gratificação de Encargos Especiais de Lotação, Exercício e Desempenho – que será apresentado ainda este ano ao governador Sérgio Cabral. O objetivo da medida é resultar em melhorias salariais. 

O Conselho continuará acompanhando o caso a fim de averiguar se as medidas relatadas realmente serão tomadas. Além disso, em janeiro, o CREMERJ marcará uma reunião com os aposentados para saber o posicionamento do grupo, se houve alteração salarial e que estratégia será usada para que haja mudança definitiva desse quadro.