Novo diretor do Hospital do Fundão fala de seus projetos

12/12/2013


O presidente do CREMERJ, Sidnei Ferreira, e a sua diretoria se reuniram, nessa terça-feira, 10, com o novo diretor do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (Hospital do Fundão), Eduardo Côrtes – que tomará posse oficialmente no dia 19. Na ocasião, Côrtes falou sobre os seus projetos de gestão e relatou o sucateamento da unidade.
 
Segundo Côrtes, além da redução do número de leitos, há ausência de contrato de manutenção, falta de insumos e de medicamentos, obras inacabadas por licitações mal feitas, problema na rede de elevadores, cancelamento de cirurgias e falta de recursos humanos.
 
Entre as prioridades do novo diretor estão: verificar questões administrativas, principalmente do setor de compras; iniciar projeto de capacitação em parceria com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Sintufrj); realizar reformas nas áreas críticas do hospital; trabalhar pela construção de um novo prédio; e manter seu posicionamento contra a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh).
 
Para Côrtes, a sociedade precisa saber da crítica situação em que o hospital se encontra por falta de investimentos do governo federal.
 
“Ter transparência hoje é fundamental, porque estamos diante de uma crise, que temos trabalhado para resolver. Agradeço também o apoio do CREMERJ, que sempre se posicionou em prol da saúde e da nossa unidade”, opinou.
 
Já Sidnei Ferreira falou sobre a importância do Hospital do Fundão e disse que o Conselho continuará apoiando a unidade.
 
“É um trabalho árduo, estamos na contramão do que o poder quer, que é a terceirização da saúde e da educação. Nossa luta é contra as atitudes negativas do poder governamental. Infelizmente, nossas autoridades não investiram em um planejamento digno para a saúde e educação, por isso estamos nessa situação. Quero dizer que estamos juntos e desejo sucesso em sua gestão, Eduardo Côrtes”, acrescentou.
 
Os diretores do CREMERJ Nelson Nahon, Erika Reis, Pablo Vazquez, Gil Simões, Serafim Borges e Marília de Abreu também participaram da reunião.