Entidades médicas debatem as próximas ações do movimento

14/11/2013


Em reunião nessa quarta-feira, 13, representantes de entidades médicas fizeram um balanço do movimento e debateram as próximas ações da categoria, no auditório Júlio Sanderson. No encontro, que foi organizado e coordenado pelo CREMERJ e Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro (Sinmed-RJ), foi deliberada reunião entre as duas entidades e suas assessorias jurídicas, no próximo dia vinte e sete.

Na ocasião, os presentes mostraram preocupação com a situação dos médicos federais, que ainda estão sem receber corretamente a gratificação salarial. Com relação a esse assunto, os presidentes das duas entidades estiveram em Brasilia na semana passada e conversaram com alguns parlamentares. Além disso, falou-se da mobilização dos hospitais universitários contra a gestão pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) e da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro, que luta para ser reativada. A instituição, interditada pela Vigilância Sanitária Estadual em outubro, teve os ambulatórios reabertos na segunda-feira, 11, após a interferência de médicos, funcionários, do CREMERJ e de outras entidades.

“Estamos num momento difícil, mas não deixaremos de lutar por um melhor atendimento para a população e por melhores condições de trabalho e de salário para a nossa categoria”, declarou o presidente do CREMERJ, Sidnei Ferreira.

O vice-presidente do CFM, Aloísio Tibiriçá, frisou a importância da união das entidades para traçar novas estratégias para o movimento. Já o presidente do Sinmed-RJ, Jorge Darze, lembrou que este ano a categoria conseguiu reunir mais de três mil pessoas na Cinelândia para protestar contra o descaso das autoridades em relação à saúde pública.

Participaram também do encontro: os conselheiros Pablo Vazquez, Nelson Nahon, Luís Fernando Moraes, Erika Reis, Gil Simões, Gilberto dos Passos e Serafim Borges; e representantes de universidades, como a UniRio.