Secretaria de Saúde de Teresópolis não acata pedido de médicos

24/05/2013


A maioria das reivindicações feitas pelos médicos da UPA de Teresópolis não será acatada, segundo o secretário municipal de Saúde, Carlos Otávio Sant’Anna. No dia 16 de maio, os médicos enviaram um ofício à Secretaria Municipal de Saúde da cidade, listando as principais necessidades. Em reunião nessa quinta-feira, 23, o secretário e a subsecretária de Saúde, Claudia Miguel, se reuniram com mais de 20 médicos, entre eles, o conselheiro do CREMERJ Nelson Nahon; o coordenador da seccional de Teresópolis, Paulo Barros; e a diretora técnica da UPA, Julia da Rocha Mendes; para falar que serão feitas mudanças na unidade, porém não as desejadas pela equipe.

As reivindicações que constavam no ofício eram: contratação por vínculo empregatício seguro; execução e deliberação para pagamento salarial no 5º dia útil, sem ultrapassar o dia 10; definição do serviço de ortopedia referendado para atendimento especializado; contratação do 3º pediatra para o plantão diurno; revisão de equipamentos; e admissão de médicos de rotina para as Salas Vermelha, Amarela, pediatria e posto de medicação.

Entretanto, de acordo com o secretário, a contratação será feita por Pessoa Jurídica (PJ); o pagamento será efetuado entre os dias 20 e 25 e sem garantia; o serviço de ortopedia será retirado para ser acertada uma contra-referência com hospitais da região; não será contratado o 3º pediatra e só haverá admissão de médico de rotina para as Salas Vermelha e Amarela.

“Tivemos uma reunião importante que contou com a presença de grande parte dos médicos da UPA. Eles estão preocupados com a postura que a Secretaria Municipal de Saúde vem adotando. Tirar os ortopedistas e exigir que os clínicos façam um primeiro atendimento em ortopedia é um retrocesso no atendimento à população. Além disso, propor que a OS contrate os médicos por PJ vai gerar insegurança aos colegas. O CREMERJ vai continuar acompanhando essa situação”, declarou Nahon.