Planos de saúde: médicos debatem proposta de negociação

09/04/2013


Representantes das sociedades de especialidade, das associações médicas de bairro e da Sociedade Médica do Estado do Rio de Janeiro (Somerj) se reuniram, nessa segunda-feira, 8, com a Comissão de Saúde Suplementar (Comssu) do CREMERJ para debater sobre a proposta de negociação com os planos de saúde para 2013. Os médicos decidiram que irão reivindicar o valor mínimo da consulta de R$ 70 e a efetuação do pagamento em até 30 dias; a 5ª edição da CBHPM plena para todas as operadoras; e a equiparação dos valores de atendimentos e procedimentos médicos feitos em enfermarias e quartos e dos honorários dos planos individuais e coletivos.
 
“Vamos lutar por nossos direitos e por uma remuneração salarial mais digna. Trabalhamos intensamente pela valorização da nossa profissão e essa reunião é para discutirmos o que iremos propor este ano aos convênios”, frisou a presidente do CREMERJ, Márcia Rosa de Araujo.
 
Durante a reunião, o CREMERJ também orientou que os médicos não assinem nenhum contrato com operadoras antes de consultar a Comssu ou sua sociedade para saber se o documento está de acordo com as resoluções IN 49 e RN 71, ambas da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).
 
O Conselho pediu ainda às sociedades que enviem a lista dos cinco procedimentos médicos mais realizados e os valores que constam nas tabelas pagas pelos planos de saúde. O objetivo é fazer uma comparação entre eles e incluí-los nas negociações. Além disso, o CREMERJ destacou que solicitará à ANS um período de adequação ao padrão da Tiss (Troca de Informações da Saúde Suplementar), que substituirá as guias de pagamento de papel por meio eletrônico, porque, em algumas regiões, os médicos ainda têm dificuldade de acessar a internet. O prazo atual é até 30 de novembro.
 
Sobre as reivindicações aos convênios, o conselheiro do CREMERJ e vice-presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Aloísio Tibiriçá, informou que no dia 25 de abril serão promovidos atos públicos em todo o Brasil. No Rio de Janeiro, está programada uma manifestação no Centro – na Rua Evaristo da Veiga, esquina com a Rua Senador Dantas, em frente à Fenasaúde –, às 10h.
 
“Contamos com o apoio de todos os médicos. Nomeamos essa data de Dia Nacional de Alerta aos Planos de Saúde. Vamos nos mobilizar neste dia e dar início às negociações com força e vigor. Como será em todo o Brasil, a repercussão será grande. Esperamos ter uma resposta rápida por parte dos convênios”, acrescentou Aloísio.