Clipping - Secretário de Saúde do RJ diz que equipamento de proteção para os profissionais de saúde pode faltar durante pandemia

G1 /

03/04/2020


Edmar Santos disse que 'mundo inteiro está consumindo' e abastecimento pode ser comprometido. Funcionários da Saúde já reclamam de falta do material de proteção.

'Sabemos que ao longo desse processo podemos ter dificuldades de abastecimento, porque o mundo inteiro está consumindo. Então, já temos através da Firjan, para que o nosso polo téxtil possa produzir mais nesse momento, produzir capotes para ajudar a sustentar o fornecimento ao longo de todo o período', afirmou o secretário.

Apesar da fala de Edmar Santos, a saúde do RJ está criando parcerias para suprir a falta de equipamentos. Hospitais e unidades de pronto atendimento começaram a receber na quarta-feira 5 mil máscaras doadas ao governo pela Firjan e pelo Centro Brasileiro de Mediação e Arbitragem.

A secretaria estadual de Saúde informou que já comprou 1,5 milhão de máscaras cirúrgicas, 150 mil máscaras de proteção, 300 mil óculos de proteção e 600 mil aventais, além dos gorros e luvas.

Uma profissional de saúde, que trabalha no Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, Zona Oeste do Rio reclama da falta de equipamento adequado. Ela está afastada, com sintomas de coronavírus e reclama que ainda não conseguiu fazer o teste.

'Nossa situação está complicada porque a gente se depara com a própria doença em si e a gente não tem o equipamento de proteção adequado. Porque a gente fica olhando pela televisão, Itália, França, Espanha todo aparamentado, até o ouvido protegido e a gente tem a roupinha que não dá nem para proteger nem a canela. Até os sapatos do cara 'é' protegido', disse a funcionária da Saúde.

Os casos do novo coronavírus na China e na Itália, onde a contaminação das equipes médicas foi alta, mostram que as autoridades precisam dar prioridade à proteção de médicos e enfermeiros.

'Preocupante a ausência de EPI porque em muitos países uma parte grande de pacientes veio dos profissionais de saúde. Cerca de 10% do total de pacientes da Itália são médicos. É importante. Não ter EPI é uma situação que é bem preocupante sim', afirmou epidemiologista André Ricardo Ribas de Freitas.

O secretário de Saúde do Rio, Edmar Santos, afirmou ainda que todas as providências estão sendo tomadas desde o início da pandemia.

'Desde janeiro, tenho falado de maneira clara, direta e técnica. Não tem nenhum ruído político na minha fala. Ela é uma conduta racional e contínua desde janeiro, nunca fui para lá e voltei para cá. Peço a vocês, em nome de quem está orientando vocês de forma correta desde o início, fique em casa porque isso é que vai salvar vidas', disse o secretário.