Maternidade escola promove evento sobre doença gestacional

23/09/2019


O presidente do CREMERJ, Sylvio Provenzano, e a vice-presidente, Célia Regina da Silva, compareceram nesta sexta-feira, 20, ao evento “Gestational Trophoblasic Disease International Summit Rio de Janeiro”. Promovido pela Associação Brasileira de Doença Trobofásica Gestacional, o encontro aconteceu na Maternidade Escola da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e reuniu profissionais do Harvard Medical School, Imperial College of London e do Toronto University.

Durante o evento, foram discutidas as causas e tratamentos da Doença Trofoblástica Gestacional. A mola, como é conhecida, é uma doença da gravidez em que o feto não se desenvolve normalmente, com elevado risco de progressão para o câncer da placenta. Infelizmente, nesses casos, a gravidez não vai adiante.

“Recebendo tratamento adequado, a mulher pode engravidar de novo, fazer o pré-natal na Maternidade Escola da UFRJ e ganhar seu bebê com segurança e respeito nessa importante instituição da nossa universidade”, explicou a vice-presidente do CREMERJ.

Ela ainda explicou que a gravidez molar é resultado de uma falha na fertilização do óvulo, que leva ao desenvolvimento placentário anormal, causando a falência do desenvolvimento do feto. Ela começa com os mesmos sinais e sintomas de uma gestação, ou seja, o atraso menstrual, a presença de náuseas e vômitos (normalmente mais intensos do que em uma gravidez normal) e o aumento do ventre mais rápido do que a idade gestacional. Porém, o sintoma mais comum do problema na gestação é a presença de sangramento vaginal, frequentemente na forma de secreção mais escura que sangue vivo.

“No Brasil, acredita-se que haja um caso de gravidez molar para cada 200 a 400 gestações normais, o que faz com que a doença seja pouco frequente e, por isso, desconhecida da população e mesmo de muitos médicos”, acrescentou Célia Regina.

Participaram do evento o Diretor da Maternidade-Escola UFRJ/acadêmico da ANM (Academia Nacional de Medicina), Professor Jorge Rezende, o ex-Diretor da ME UFRJ, Professor Jofre Amin, representando SMS, Dra. Carla Brasil.

O evento foi organizado pelo presidente da Sociedade Brasileira de DTG, Professor Antônio Braga, que tem o grande mérito de trazer este summit para o Brasil. O próximo será em Harvard.