CREMERJ debate oncologia com novo diretor-geral do Inca

15/06/2015


Recém-empossado no cargo de diretor-geral do Instituto Nacional de Câncer (Inca), o médico Paulo Eduardo Mendonça, esteve no CREMERJ, nessa terça-feira, 9, para uma reunião com o presidente do Conselho, Pablo Vazquez, e os conselheiros Nelson Nahon, Erika Reis, Carlos Enaldo de Araújo, Ana Maria Cabral, Ilza Fellows e Márcia Rosa de Araujo.

Na ocasião, Paulo Eduardo Mendonça reconheceu a responsabilidade de estar à frente de uma unidade do porte do Inca, referência nas áreas de pesquisa e ensino, prevenção e assistência oncológica. O diretor ressaltou que o instituto está em reforma. O processo, no entanto, está com atraso, devido à falência da construtora licitada para o serviço. Com isso, a segunda empresa classificada foi chamada para dar continuidade à obra.

No encontro, o diretor do CREMERJ Nelson Nahon reafirmou o compromisso com a defesa da administração pública direta, com carreira. “Precisamos avançar nessa questão da carreira, pois isso incentiva a fixação do médico”, considerou.

Sobre o fortalecimento da atenção básica, Paulo Eduardo acredita que isso aumentará as demandas nos hospitais, ou seja, pressionará a necessidade de atendimento por especialidade e a rede deve estar preparada para isso. Segundo ele, o Inca organizará um conteúdo programático para o diagnóstico e abordagem das doenças oncológicas para a residência médica na Estratégia da Saúde da Família.

Outro assunto discutido foi a importância de uma regulação específica na área de oncologia. Pablo Vazquez lembrou que o CREMERJ teve, recentemente, uma reunião com os chefes desse serviço dos hospitais federais, que preocupados com as dificuldades enfrentadas atualmente, discutiram meios de como superá-las.
 
De acordo com Paulo Eduardo, o Ministério da Saúde também tem realizado debates nesse sentido e se fala num diálogo mais aprofundado entre os gestores das unidades federais e em uma avaliação para identificar a expertise de cada hospital da rede.