CREMERJ faz panfletagem pelo Dia da Criança Desaparecida

25/05/2015


Nesta segunda-feira, 25 – Dia Internacional da Criança Desaparecida –, o CREMERJ promoveu uma mobilização para conscientizar a sociedade quanto à importância do tema. Funcionários do Conselho vestiram uma camisa especial e fizeram uma panfletagem na porta da entidade para atingir médicos e a população.

“Queremos mostrar que cuidados pequenos podem evitar o desaparecimento de uma criança e de que forma os responsáveis podem proceder, caso isto ocorra. Além disso, o médico também tem um papel importante no atendimento. Se ele considerar algo suspeito deve notificar as autoridades”, alertou o diretor do CREMERJ Gil Simões.

A mobilização no Rio de Janeiro fez parte da Caravana Nacional dos Conselhos de Medicina, com o tema “Crianças Desaparecidas”, de iniciativa da Comissão de Ações Sociais do Conselho Federal de Medicina (CFM). Em todo o país, os Conselhos Regionais promoveram ações para conscientizar a sociedade, como visitas a hospitais pediátricos a fim de debater a questão.

“O folheto está bem explicativo, tivemos uma boa adesão. As pessoas pegavam e já liam as orientações. É um tema bastante relevante. Você percebe que atitudes simples, como fazer a identidade da criança o quanto antes, podem minimizar riscos de desaparecimento”, ressaltou Gil Simões.

No Brasil, estimativas apontam que são registrados, anualmente, em média 50 mil casos de desaparecimento de crianças. O Estado de São Paulo detém 25% deste número, representando o maior índice, seguido do Rio de Janeiro e dos Estados do Nordeste. De acordo com o governo brasileiro, entre 10 a 15% destas crianças permanecem desaparecidas. Já a Organização das Nações Unidas (ONU) estima que 50% deste total ainda não retornaram para os seus lares.

Clique aqui e confira as informações do folder distribuído em todo o país.