CRM se reúne com Coordenação de Residência Médica do Hupe

09/12/2014


Os diretores do CREMERJ Pablo Vazquez e Gil Simões se reuniram com os representantes da Coordenação de Residência Médica do Hospital Universitário Pedro Ernesto (Hupe) nessa segunda-feira, 1. Em setembro, os residentes solicitaram o auxílio do Conselho para sanar os problemas da unidade: falta de infraestrutura, de insumos e superlotação, alegando que isso influenciava negativamente seu trabalho e aprendizado. Na ocasião, Pablo Vazquez orientou os residentes a procurarem o apoio da chefia de clínica médica. 

Justamente para organizar as reivindicações dos residentes, criou-se a Comissão de Gestão Acadêmico-Assistencial do Plantão Geral (Cogeap) do Hupe. Na reunião com o CREMERJ, os médicos preceptores expuseram seu cronograma listando as reivindicações dos residentes e as ações e reuniões realizadas na tentativa de resolver os problemas. 

O presidente da Comissão de Residência Médica (Coreme) do hospital, Paulo Pinho, falou sobre a importância dos canais de representatividade nas instituições. Ele contou que a comissão se reuniu com os residentes para deixar claro que os médicos recém-formados devem procurá-los sempre que houver problemas. 

“Nós somos representativos na instituição, temos um saber acumulado que nos permite ser respeitados no mundo acadêmico. Somos parceiros dos residentes para encontrar as soluções e temos toda a lealdade a eles. O espaço é seguro porque não vamos permitir nenhuma retaliação. Quando dissemos isso, imediatamente eles se coligaram conosco como se nós falássemos a mesma língua”, contou. 

O diretor Gil Simões destacou a importância do trabalho da comissão, que encarou as reivindicações dos residentes com seriedade eorganização e, assim, contribui com a sua formação. 

“Está se perdendo o interesse e o respeito pela política porque não há nenhuma ação politicamente organizada como essa. Os residentes devem estar bem satisfeitos com o que vocês estão fazendo no Pedro Ernesto”, afirmou. 

O presidente da Associação dos Médicos Residentes do Estado do Rio de Janeiro (Amererj), Diego Puccini, reforçou a importância de ter médicos mais experientes na liderança das reivindicações. 

“A nossa função é pegar a formação e a maturidade política dos residentes e direcionar o caminho a ser seguido como médico. Alguns residentesjá chegam querendo fazer greve, mas é nosso dever orientá-los. A solução que os preceptores encontraram para dar um norte a isso é ótima”, opinou. 

Pablo Vazquez colocou o CREMERJ à disposição para que a residência médica do hospital não seja mais prejudicada e solicitou uma relação das especialidades onde há carência de profissionais. O diretor afirmou ainda que, com este documento em mãos, o Conselho vai fazer uma fiscalização e se reunir com o diretor da unidade.

“Mais uma vez os residentes lutam pela melhoria do serviço e vocês, preceptores, com inteligência e habilidade, canalizaram essas reclamações de forma positiva. Nós ficamos felizes em ver isso, em ajudar e em poder dar sequência às soluções dos problemas”, concluiu. 

Estiveram presentes na reunião os membros da Cogeap João Carlos Arieira e Eduardo Pereira Marques, também da Comissão Técnica de Informática Médica do CREMERJ.