Representantes das seccionais se reúnem em encontro da Cosec

24/09/2014


Representantes das seccionais e subsedes debateram nessa sexta-feira, 19, na sede do CREMERJ, a situação da Saúde em suas regiões durante mais uma reunião da Coordenação de Seccionais do Conselho (Cosec). No encontro, o presidente do CREMERJ, Sidnei Ferreira falou sobre o movimento dos peritos do município, da assembleia dos médicos do estado – que contou com a presença de cerca de 60 colegas –, e dos hospitais federais, além de outros assuntos.

“O que vemos é uma vergonha, um descaso total com os médicos. Os hospitais federais continuam com problemas, principalmente o Cardoso Fontes, do Andaraí e de Bonsucesso. Agora, estamos com esperança no Andaraí, onde um colega, apoiado pela comunidade médica e de funcionários, assumiu a direção. Além disso, o Ministério da Saúde parece que está empenhado em resolver as questões da unidade. Já o Hospital de Bonsucesso, onde já fizemos várias fiscalizações, continua com crianças entubadas nas enfermarias, o que é gravíssimo”, destacou o presidente do CREMERJ.

Sidnei Ferreira informou ainda que o Conselho participou de uma audiência pública sobre o Hospital Clementino Fraga Filho.

“O hospital tem 200 leitos em atividade e teria que ter 800. O governo não repassa verbas e quer implantar a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) lá. Também nesses últimos dias, nós estivemos nas Secretarias Municipal e Estadual de Saúde e no Ministério Público Estadual e Federal. Na semana que vem, iremos ao Núcleo Estadual do Rio de Janeiro (Nerj) do Ministério da Saúde”, relatou.

Na área de fiscalização, o vice-presidente do CREMERJ, Nelson Nahon, informou que o Conselho está convocando para comparecer na sede do Conselho ou na seccional, os diretores técnicos de unidades públicas ou secretários de Saúde que não respondem aos questionamentos do CREMERJ referentes às denúncias ou às visitas técnicas nos hospitais.

“Quando a unidade não tem diretor técnico, pedimos esclarecimento ao secretário de Saúde. Quando eles não respondem, reiteramos. Mas como não estamos obtendo retorno, estamos fazendo essa convocação. Porém, não será uma regra. Vamos avaliar cada caso e, se for necessário, vamos convocar. Em resumo, vamos pressionar quem nos deixar sem resposta”, afirmou.

Durante a reunião, os representantes das seccionais relataram problemas que tem ocorrido em suas regiões. Em Angra dos Reis, por exemplo, a prefeitura está atrasando os pagamentos. Já em Cabo Frio faltam pediatras no Hospital Maternidade de São Pedro da Aldeia.

Participaram também do encontro representantes de Barra Mansa, Barra do Piraí, Campos, Duque de Caxias, Itaperuna, Ilha do Governador, São Gonçalo, Valença, Vassouras, Volta Redonda, Campo Grande, Jacarepaguá, Méier, Tijuca e Madureira.

Além de Sidnei Ferreira, a reunião foi dirigida pelos conselheiros Abdu Kexfe, Nelson Nahon, Pablo Vazquez, Luís Fernando Moraes, Marília de Abreu, Serafim Borges e José Ramon Blanco.