Médicos peritos do RJ decidem suspender greve temporariamente

18/09/2014


Médicos peritos do município do Rio de Janeiro decidiram retornar às suas atividades enquanto negociam com a prefeitura. A categoria deixou claro, no entanto, que o movimento continua e que uma nova paralisação pode ser deflagrada caso suas reivindicações não sejam atendidas. A decisão foi tomada em assembleia realizada nessa segunda-feira, 15, no auditório do Sinmed-RJ, que contou com a participação de membros do sindicato e do CREMERJ.

Um novo encontro foi marcado para o dia 6 de outubro, quando os colegas irão avaliar a evolução das negociações e debater os rumos da luta, que culminou com a greve iniciada em 25 de agosto.

Os peritos decidiram retornar ao trabalho para dar um “voto de confiança” ao prefeito. Eles se reuniram na última sexta-feira, 12, com Rosemary Cardoso Azevedo, assessora de Eduardo Paes. 

Na ocasião, ela sinalizou para a possibilidade de que as reivindicações da categoria poderão ser atendidas. Os médicos peritos lutam por melhores condições de trabalho, salários dignos e realização de concurso público. 

Segundo o médico perito Márcio Dionysio, que participou do encontro com a assessora, uma das exigências para abrir um canal para discutir as reivindicações da categoria foi o fim da greve. 

O diretor do CREMERJ, Pablo Vazquez, que esteve presente à assembleia, afirmou que considera o movimento dos médicos peritos vitorioso.

“Foi somente diante da greve que a prefeitura resolveu negociar. Podemos, sim, considerar que tivemos uma vitória e vamos dar continuidade ao movimento. A paralisação será suspensa, mas aguardamos da prefeitura uma resposta coerente com as nossas reivindicações”, afirmou Pablo Vazquez.

A fim de verificar as condições de trabalho dos médicos peritos em seu retorno às atividades, o conselheiro informou que o CREMERJ irá agendar uma fiscalização para os próximos dias. 

Os diretores do Sinmed-RJ Sara Padron, Eraldo Bulhões e José Romano também participaram do encontro.