Peritos do RJ pressionam Câmara à resposta para reivindicações

03/09/2014


Médicos peritos do município do Rio de Janeiro e representantes do CREMERJ e do Sinmed-RJ estiveram, nessa terça-feira, 2, na Câmara dos Vereadores para pressionar uma resposta à pauta de reivindicações do movimento. Em greve desde o dia 25 de agosto, os peritos aguardam uma proposta da prefeitura e da Secretaria Municipal de Administração (SMA), a fim de discutir em assembleia.
 
Na ocasião, o grupo pediu, mais uma vez, que a Câmara leve ao conhecimento do prefeito Eduardo Paes a situação crítica que a perícia municipal tem vivido, com a falta de recursos humanos, condições precárias de trabalho e salários indignos.
 
Atualmente, apenas 30 peritos estão trabalhando, sendo que nem todos ficam no atendimento. No entanto, a própria prefeitura recomenda o mínimo de 68 médicos peritos. Há cerca de dois anos, a perícia contava com 66. Por esse motivo, o grupo reivindica, principalmente, concurso público, reajuste salarial e plano de cargos, carreira e vencimentos.
 
O diretor do CREMERJ Pablo Vazquez, que participou da reunião, reafirmou que a pauta de reivindicações do movimento é justa.
 
“O CREMERJ continuará apoiando os médicos peritos. Trata-se de uma luta difícil, mas não vamos desistir. Nossa preocupação não é só com os colegas. Também queremos que os servidores recebam um atendimento de qualidade”, disse Vazquez.
 
Na próxima segunda-feira, 8, haverá uma assembleia para debater os rumos do movimento. Além disso, o grupo tentará agendar uma reunião com o líder de governo da Câmara, o vereador Luiz Antonio Guaraná.
 
O diretor do Sinmed-RJ Eraldo Bulhões também participou do encontro.