Reunião promove união de forças pela Saúde de Teresópolis

20/08/2014


A seccional de Teresópolis do CREMERJ promoveu uma reunião nessa quarta-feira, 13, na seccional de Teresópolis, para discutir a grave crise que a saúde pública vem atravessando no município. O diagnóstico foi que a inoperância da atenção básica, a falta de leitos pactuados disponíveis, a regulação de vagas e o financiamento deficiente são os principais responsáveis pela situação.

Durante o debate, diversas dificuldades foram apontadas, com destaque para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da região, que está sem diretor médico, com salários atrasados e grande sobrecarga de trabalho, motivo que levou médicos a realizarem uma paralisação de sete dias. As salas vermelha e amarela ficaram lotadas a ponto de haver pacientes "internados" na sala de medicação.

Além disso, os hospitais conveniados do Sistema Único de Saúde (SUS) –Hospital São José e Hospital de Clínicas de Teresópolis Constantino Ottaviano (HCT) – estão com os repasses das dotações orçamentárias com grande atraso.

Quanto ao Programa da Saúde da Família (PSF), há 14 unidades funcionando sem contrato. Sem contar que o município não possui central de regulação, o que dificulta não só as internações, mas também o fluxo de pacientes do PSF para as clínicas de especialidades, que estão em condições precárias.

“Defendemos concursos públicos com salários justos, condições adequadas de trabalho e um atendimento digno à população. Infelizmente, não é isso que tem acontecido nas unidades de Teresópolis. Medidas precisam ser tomadas urgentemente”, declarou o vice-presidente do CREMERJ, Nelson Nahon. 

No encontro, ficou decidido: realizar reuniões semanais com os diretores do HCT, São José, UPA  e Regulação para melhorar e sistematizar o fluxo de pacientes nestas unidades; continuar a se reunir com o secretário de Saúde; inaugurar 41 leitos no Hospital São José – em fase final de obra –, o que disponibilizará mais 31 leitos no SUS; nomear um diretor médico da UPA e promover a regularização da UPA em relação ao gerenciamento e aos vínculos trabalhistas dos médicos e dos demais profissionais da Saúde; criar a Central de Regulação do Município; realizar concursos públicos com salários dignos; ampliar a rede de atenção básica e as clínicas de especialidades; além de outros.

Também foi marcada outra reunião para o dia 10 de setembro, às 16h, na seccional de Teresópolis do CREMERJ.

Além de Nelson Nahon, participaram do encontro o coordenador da seccional de Teresópolis, Paulo Barros; o secretário de Saúde do município Luciano Leandro Demarchi, no cargo há menos de uma semana; o chefe da Central de Regulação de Vagas Hospitalares do município, Vanderlei de Oliveira; a diretora geral do HCT, Rosane Costa; o presidente da Sociedade Médica de Teresópolis, José Alberto Falcão; o diretor técnico do Hospital São José, Marcelo Vettore; o representante da Comissão de Ética do Hospital São José, João Maria Ferreira; o diretor de Integração, Ensino e Assistência do HCT, Luís Gustavo de Azevedo; e o assessor do secretário de Saúde, enfermeiro Carlúcio.