CREMERJ recebe homenagem no 20º aniversário da Someduc

11/08/2014


A Sociedade Médica de Duque de Caxias (Someduc) comemorou seu 20º aniversário com uma solenidade na qual prestou homenagens aos seus ex-presidentes e também aos amigos da entidade. O presidente do CREMERJ, Sidnei Ferreira, também foi homenageado, recebendo uma placa em agradecimento pela dedicação às lutas no setor de saúde.

No evento, realizado nessa sexta-feira, 8, ocorreram ainda homenagens ao presidente e ao ex-presidente  da Associação Médica do Estado do Rio de Janeiro (Somerj), José Ramon Blanco e Carlindo de Souza e Silva, respectivamente.

A Someduc também agraciou com placas alusivas e de gratidão a todos os seus ex-presidentes: Fernando Moreira da Silva (1994/1999), Benjamin Baptista Almeida (2002/2008), Marcos Rogério Leal (2008/2011) e também ao seu atual dirigente, Cesar Danilo Angelim Leal, que está no segundo mandato  (1999/2002 e 2011/2014).

Em seu discurso, o cardiologista e presidente da entidade, Cesar Danilo, falou sobre os desafios enfrentados pelos médicos nessas duas décadas e recordou que o panorama da medicina nunca foi fácil, “embora tenha piorado nos últimos anos”.

“Na época da fundação da Someduc, o CREMERJ,  a Somerj e as sociedades de especialidade lutavam com os médicos na tentativa de aumentar o valor das consultas. Os médicos recebiam o equivalente a 5 dólares e pleiteavam 15 dólares. Isso parece irreal para os mais jovens, entretanto foi a dura realidade”, disse.

Além de agradecer a surpresa da homenagem, o presidente do CREMERJ, Sidnei Ferreira, salientou que não se pode perder a esperança de dias melhores para os médicos e para a população que necessita do sistema de saúde.

“Todos os problemas têm origem na má gestão pública da saúde na falta de planejamento nacional, financiamento insuficiente, além de má vontade política dos governantes. E isso não é de agora. A crise vem de muito tempo, tendo piorado nos últimos anos, com agressões, como a entrada de médicos estrangeiros no país, sem a garantia de estarem preparados para atender adequadamente os brasileiros”, frisou.

Em suas considerações, o presidente da Somerj disse concordar com o dirigente do CREMERJ. “Vivemos um momento turbulento, com dificuldades também na formação profissional, de baixa remuneração e falta de condições de trabalho”,  destacou.

Sidnei Ferreira também ressaltou que a união dos médicos e de suas entidades permitiu que a categoria contabilizasse algumas vitórias em meio a tantas lutas, como a  Lei 13.003/2014, que regulamentou questões importantes para os médicos, como a contratualização e os reajustes dos honorários anualmente. Ele citou ainda a reabertura da Santa Casa e a lei que garante a reconstrução mamária para mulheres que fizeram mastectomia, uma luta que teve início no CREMERJ, além de outras.

O vice-presidente do CREMERJ, Nelson Nahon, também participou da festividade.

Na foto, José Ramon Blanco, Sidnei Ferreira,
Fernando Moreira, Cesar Danilo Leal, Nelson Nahon e Benjamin Baptista