Peritos decidem paralisar por três dias a partir do dia 21

15/07/2014


Os médicos peritos do município decidiram paralisar os atendimentos por três dias a partir da próxima segunda-feira, 21. Na quinta, 24, eles farão uma nova reunião para avaliar o movimento. A decisão foi tomada por unanimidade durante assembleia realizada nessa segunda-feira, 14, no Sinmed-RJ, que contou com a participação do CREMERJ.
 
Os peritos decidiram por esses três dias de paralisação após diversas tentativas de negociação com a prefeitura do Rio de Janeiro e a Secretaria Municipal de Administração. As principais reivindicações dos colegas são concurso público, plano de cargos e salários e reajuste salarial imediato. Atualmente, o salário-base deles é de R$ 933,67, chegando a cerca de R$ 1.300 se contar com a insalubridade e triênios. Hoje, há apenas 33 peritos para atender todos os servidores do município e os seus dependentes. 
 
Na assembleia, o diretor do CREMERJ Pablo Vazquez reafirmou o apoio do Conselho ao movimento.
 
“A intransigência é por parte do governo. Os colegas estão realmente enfrentando uma situação difícil. Além de sobrecarregados, estão com salários muitos baixos, que não condizem com seu trabalho e suas responsabilidades. O CREMERJ dá total apoio a esse movimento, que é justo e ético”, acrescentou Vazquez.
 
No encontro, foi marcado uma nova audiência pública com o presidente da Câmara dos Vereadores, Jorge Felippe, com a presença do CREMERJ e do Sinmed-RJ, para o dia 5 de agosto, a fim de buscar uma solução para a situação dos peritos. Além disso, as entidades médicas tentarão agendar uma reunião com o prefeito Eduardo Paes.
 
Os peritos também destacaram que o objetivo da paralisação não é prejudicar o atendimento aos servidores, mas sim alertar ao governo que a situação está insuportável e que eles irão à luta. Cerca de 600 pessoas são atendidas diariamente por esses médicos peritos.