Santa Casa reabre oficialmente após plano de reestruturação

27/06/2014


O Hospital Geral da Santa Casa de Misericórdia reabre oficialmente nesta sexta-feira, 27, após o início de um plano de reestruturação. A unidade estava interditada pela Vigilância Sanitária (Visa) desde outubro do ano passado, por condições inadequadas para o atendimento. Pelo novo modelo, o hospital será administrado pela Associação da Misericórdia e o faturamento passa a ser dividido 60% via Sistema Único de Saúde (SUS) e 40% pelo sistema privado. O plano de reestruturação envolveu empresas privadas, uma universidade e representantes da prefeitura e do governo do Estado.

Após a interdição, o presidente do CREMERJ, Sidnei Ferreira, reuniu-se com Sérgio Côrtes, que, na época, era o secretário estadual de Saúde, para debater formas para a reabertura da Santa Casa, que, a partir de hoje, é parcial e passa a realizar até 200 atendimentos gratuitos por dia.

“Lutamos pela reativação da Santa Casa, porque essa unidade tem história, tradição e excelentes profissionais. Desde outubro, o CREMERJ participou de várias reuniões e mobilizações, buscando soluções para que as portas dessa unidade não fossem definitivamente fechadas, porém reabertas. É uma reativação parcial, mas trata-se de uma vitória importante para a sociedade e para o movimento médico”, declarou Sidnei Ferreira.

Desde a desativação da Santa Casa, o CREMERJ esteve na unidade, no mínimo, cinco vezes e teve duas reuniões com Sérgio Côrtes, no gabinete do então secretário. O Conselho e o Sinmed-RJ levaram o caso a Brasília, pedindo o apoio de parlamentares. Na ocasião, os presidentes do CREMERJ, do Sinmed-RJ e da Federação Nacional dos Médicos (Fenam) se reuniram com o presidente da Frente Parlamentar das Santas Casas, Hospitais e Entidades Filantrópicas, o deputado federal Antônio Brito (PTB-BA).

A mobilização de médicos e funcionários da Santa Casa, do CREMERJ e de outras entidades resultou, no dia 12 de novembro, na liberação por parte da Visa do serviço de radiologia e de nove ambulatórios para atendimento clínico. O Hospital Geral da Santa Casa da Misericórdia havia sido interditado totalmente após uma decisão da Superintendência de Vigilância Sanitária da Secretaria Estadual de Saúde no dia 9 de outubro. Na época, a Visa constatou irregularidades, como problemas graves de infraestrutura.

“Essa reabertura em novembro, mesmo sendo pequena, foi uma vitória, porque conseguimos uma resposta positiva em um mês. Durante todo o tempo, trabalhamos para sensibilizar as autoridades para uma questão grave de saúde pública, pois pacientes crônicos ficaram sem poder dar continuidade ou iniciar o seu tratamento. Foi uma luta nobre, que, na verdade, continua”, ressaltou o presidente do CREMERJ.

Atual funcionamento da Santa Casa

Neste momento, o hospital funcionará com duas enfermarias e 15 ambulatórios. Progressivamente, os médicos esperam que sejam concluídas as obras que permitirão a reabertura, até o fim do ano, de cerca de 400 leitos para internação. Até outubro, quando houve a interdição, eram cerca de 700, porém muitos terão que deixar de existir para atender às exigências da Visa.

Segundo o governo do Estado, em evento realizado nesta sexta-feira, a Santa Casa assinará um convênio com a Universidade Estácio de Sá, que tem curso de medicina e recebeu parte dos alunos da Gama Filho, extinta desde o início do ano. Pelo acordo, a Estácio dará suporte financeiro à Associação da Misericórdia para as obras de reforma das enfermarias. Com a parceria, os alunos da faculdade poderão utilizar a Santa Casa como hospital-escola.