CRM participa de cerimônia de novo professor emérito da UFRJ

16/06/2014


Mestre, médico, pesquisador e defensor da educação e da saúde pública de qualidade no Brasil, tendo por princípios a autonomia universitária e a ética, o professor titular de cardiologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Nelson Albuquerque de Souza e Silva teve seu trabalho e dedicação reconhecidos, com a outorga do título de professor emérito em sessão solene do Conselho Universitário, nessa terça-feira, 10, no auditório do Centro de Ciências da Saúde.

A solenidade presidida pelo reitor da UFRJ, Carlos Antonio Levi da Conceição, foi repleta de palavras de reconhecimento e gratidão pelo trabalho e dedicação do professor, sempre citado como exemplo a ser seguido pelas novas e antigas gerações. 

Graduado pela Faculdade de Medicina da UFRJ, em 1965, Nelson Albuquerque de Souza e Silva atua como professor titular na Faculdade de Medicina da UFRJ desde 1999, acumulando, ainda, desde 2009, o cargo de diretor do Instituto do Coração Edson Saad, da mesma universidade.

O novo professor emérito foi também diretor da Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro / Centro de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, de  2003 a 2006;  pró-reitor de Desenvolvimento e Extensão na UFRJ, de março de 1989 a fevereiro de 1990;  e coordenador geral do Programa Nacional de Educação e Controle da Hipertensão Arterial na Brazilian Health Ministry, de dezembro de 1986 a outubro de 1989.

Em sua saudação ao homenageado, o professor emérito Sérgio Novis destacou que a indicação da emerência teve características excepcionais, referindo-se ao fato de o requerimento ter sido subscrito por cerca de 500 integrantes dos corpos docente e discente da instituição.

Em seu discurso, Nelson Albuquerque de Souza e Silva afirmou que a concessão do título de professor emérito o fez recordar que recebeu, naquele mesmo auditório, há 16 anos, o título de professor titular das mãos do professor Clementino Fraga Filho.

Fiel ao seu espírito independente e ético, ele fez intransigente defesa da autonomia universitária, criticou a criação da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) e o projeto “Mais Médicos”.

O novo professor emérito comentou ainda a informação, divulgada na mesma solenidade, de que o governo federal liberou verba de R$ 10 milhões para a reestruturação do HUCFF.  Em sua avaliação, os recursos são insuficientes para as necessidades da instituição. No mesmo fôlego, criticou o anteprojeto de lei federal que trata da reforma administrativa e ameaça todo o serviço público de qualidade no Brasil. 

Encerrando a solenidade, o reitor da UFRJ falou do orgulho em presidir aquela cerimônia “onde se outorga homenagem a um brasileiro que usa toda a sua energia na defesa de suas posições e convicções”.

“É uma pessoa diferenciada por sua capacidade de incorporar posições tão naturais ao exercício da universidade, devido ao seu espírito questionador e provocador, que defende com unhas e dentes suas opiniões e convicções, em uma posição quase quixotesca”, afirmou o reitor, que, em seguida, presenteou o professor emérito com uma bandeira do Brasil. 

Para o presidente do CREMERJ, Sidnei Ferreira, as homenagens e a emerência que Nelson Albuquerque de Souza e Silva recebeu foram merecidas.

“Refletem a dedicação e o caráter do homem, médico e professor que em todos os momentos cuidou com zelo dos pacientes, dos alunos e dos colegas, defendendo um atendimento digno para a população, ensino de qualidade e autonomia universitária”, declarou.

A cerimônia contou com a presença dos integrantes de todos os setores da UFRJ; do secretário-geral da Sociedade Brasileira de Cirurgia Vascular, Sérgio Meirelles; de representantes da Academia de Medicina do Rio de Janeiro; e do Fórum Nacional de Saúde.