CREMERJ se reúne com o prefeito Eduardo Paes

05/05/2014


Representantes do CREMERJ se reuniram com o prefeito Eduardo Paes, em seu gabinete, para debater questões da saúde pública, nessa sexta-feira, 2. Na ocasião, foram abordados diversos assuntos, como a aposentadoria especial, o andamento do projeto de lei sobre o Imposto Sobre Serviços (ISS) para pessoa jurídica uniprofissional, a equiparação salarial para os estatutários e o estado crítico de alguns hospitais municipais, principalmente do Salgado Filho.

Sobre a aposentadoria especial, Paes disse que sua assessoria irá elaborar um estudo para ser apresentado ao CREMERJ. Assim que esse documento for finalizado, será agendada uma reunião para que o assunto seja debatido.

Em relação ao projeto de lei sobre o ISS, o prefeito disse que aguarda a votação da Câmara dos Vereadores e ressaltou a importância do papel das entidades de classe para pressionar politicamente a aprovação.

O CREMERJ também questionou o fato de o salário dos estatutários ser bem inferior ao dos novos contratados. O Conselho criticou essa disparidade e reiterou a necessidade da equiparação salarial para ativos e inativos. Eduardo Paes reconheceu o valor do trabalho dos estatutários e disse estar estudando uma medida para a resolução desse problema.

Além disso, o CREMERJ falou sobre a situação crítica dos hospitais municipais, com destaque para o Salgado Filho. Segundo o vice-presidente do Conselho, Nelson Nahon, a emergência da unidade, há tempos, sofre com superlotação e com número reduzido de clínicos gerais, chegando a ter apenas um por plantão.

Na ocasião, o CREMERJ relembrou a proposta de referenciar a emergência, explicando que não se trata de fechar o setor, mas de redirecionar ambulâncias para outras unidades. A população que for diretamente ao hospital será atendida normalmente.

“Essa é uma medida emergencial que visa permitir a reestruturação física do setor, assim como a recomposição das equipes na emergência. O propósito é referenciar até que o problema da falta de recursos humanos e da superlotação seja resolvido. Temos acompanhado o sofrimento da população e dos médicos. A situação do Salgado Filho nos preocupa muito”, disse Nahon.

Paes afirmou que se reunirá com o secretário municipal de Saúde, Hans Dohmann, para debater essa proposta.

Também participaram da reunião os diretores Gil Simões, Marília de Abreu e Carlos Enaldo de Araújo.