Assembleia reúne médicos do Hospital Federal Cardoso Fontes

19/03/2014


Representantes do CREMERJ e do Sinmed-RJ promoveram uma assembleia nessa segunda-feira, 17, para mobilizar os colegas a participarem do movimento nacional em defesa da saúde. No Rio de Janeiro, haverá ato público no dia 7 de abril, às 10h, na Cinelândia, e uma assembleia preparatória no próximo dia 24, às 19h, na sede do Conselho.

Na ocasião, o conselheiro do CREMERJ Gil Simões citou o programa Mais Médicos como mais uma estratégia do governo federal que não foi bem-sucedida. Segundo ele, durante fiscalizações, constatou-se que a maioria dos médicos cubanos tem trabalhado sem preceptoria, sem supervisão e contam com o auxílio de sites de busca, como o Google, para esclarecer dúvidas sobre medicamentos.

Gil também ressaltou que a lei do Mais Médicos interfere na criação de novas faculdades de medicina; no programa de graduação médica, porque modifica o internato; e na residência médica, quando torna obrigatório no mínimo um ano de medicina da família como pré-requisito para a maioria dos programas de residência.

“São situações complicadas, o que reforça a importância de estarmos unidos e em grande número no dia 7 de abril para protestar contra todos esses absurdos”, disse.

Durante o encontro, médicos da unidade também denunciaram a falta de recursos humanos. De acordo com eles, há dias da semana em que médicos ficam sozinhos de plantão no hospital.

Membros do corpo clínico do Cardoso Fontes agendaram uma reunião para o próximo dia 27 com as chefias de serviço para falar sobre a situação interna do hospital e a possibilidade de greve.

Também participaram da assembleia os conselheiros do CREMERJ Erika Reis e Carlos Enaldo de Araújo; o presidente do Sinmed-RJ, Jorge Darze, e membros da sua diretoria; a presidente da Comissão de Ética Médica do CREMERJ, Magali Luppo; e a presidente do corpo clínico do Cardoso Fontes, Ana Simões.