CRM pedirá reunião com o Nerj para falar sobre crise na saúde

11/11/2013


Após pedir várias vezes o auxílio do governo federal para solucionar a crise na saúde, causada principalmente pela falta de recursos humanos e de infraestrutura, o CREMERJ solicitará uma reunião com o representante do Ministério da Saúde no Estado do Rio de Janeiro (Nerj). O Conselho vem realizando fiscalizações frequentemente nessas unidades e tem constatado que os problemas não foram resolvidos e que, ao contrário disso, agravaram-se.
 
Entre as ações, o CREMERJ enviou um ofício para a presidente da República, Dilma Rousseff, informando a situação caótica dos hospitais federais do Rio de Janeiro e pedindo a sua intervenção no Hospital Cardoso Fontes e no Hospital Geral de Bonsucesso, unidades que estavam em condições ainda mais caóticas.
 
A Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, por sua vez, enviou uma resposta genérica, sem apresentar nenhum projeto que tenha o objetivo de resolver essa crise na saúde, indicando apenas que convocou médicos para esses hospitais.

"Mas a forma de contratação proposta faz com que a maioria do médicos não fique, e, portanto, o problema continua e se agrava a cada dia, com o afastamento dos colegas que se aposentam ou se demitem", alertou o coordenador da Comissão de Saúde Pública do CREMERJ, Pablo Vazquez.

Em relação à reunião com o Nerj, o CREMERJ espera uma resposta plausível e um planejamento que solucione esses principais problemas. O Conselho luta por um atendimento de qualidade para a população e por condições dignas de trabalho aos médicos.

 

                                                   Na foto, conselheiros do CREMERJ visitam o Hospital Cardoso Fontes e conversam com médicos da unidade