Médicos participam de ato público no Centro do Rio

30/07/2013


Médicos de vários serviços e hospitais no Rio de Janeiro aderiram à paralisação nacional e participaram de um ato público em defesa da saúde, nesta terça-feira, 30. A mobilização começou no Hemorio, por volta das 9h, onde os residentes realizaram um mutirão de doação de sangue. De lá, cerca de 400 pessoas, entre médicos, representantes de entidades médicas, residentes e estudantes de medicina, foram até o Hospital Municipal Souza Aguiar. Depois, caminharam até a prefeitura do Rio, interditando, com auxílio policial, um trecho da Avenida Presidente Vargas por cerca de 30 minutos.

Com cartazes e faixas, os manifestantes declararam palavras de ordem durante todo o percurso, reivindicando melhores investimentos para a saúde e maior valorização da medicina, com a realização de concurso público, carreira de Estado e salários dignos.

Todos os participantes criticaram veementemente a Medida Provisória 621/2013, que cria o programa “Mais Médicos para o Brasil”, que prevê, entre outras ações, a importação de médicos sem a revalidação do diploma e a ampliação de mais dois anos para o curso de medicina a partir de 2015; os vetos à Lei do Ato Médico; a privatização da saúde; o sucateamento das unidades e o fechamento de hospitais e serviços. 

“A MP 621 é uma medida imediatista e eleitoreira que não resolverá o problema da saúde. Os médicos precisam de condições para exercer a sua profissão com dignidade e, para isso, é necessário que o governo invista em infraestrutura. Esse é o principal motivo de muitos colegas optarem por não irem para o interior”, declarou a presidente do CREMERJ, Márcia Rosa de Araujo. 

Os manifestantes encerraram o ato público em frente ao prédio da prefeitura, onde criticaram a má gestão da saúde.

Os médicos promoverão mais um dia de paralisação, com manifestação, seguindo o calendário das entidades médicas nacionais. Na quarta-feira, 31, às 11h, a categoria se encontrará na Cinelândia e seguirá em passeata até a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, passando pela Rua México, onde fica o Ministério da Saúde. 

Além de conselheiros do CREMERJ, participaram do ato público: a presidente da Associação Nacional dos Médicos Residentes (ANMR), Beatriz Costa; o presidente do Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro (Sinmed-RJ), Jorge Darze; o presidente da Associação dos Médicos Residentes do Rio de Janeiro (Amererj), Diego Puccini; e representantes de outras entidades médicas.