Médicos do Rio definem agenda de ações contra crise na saúde

23/07/2013


Médicos e representantes de entidades médicas do Rio de Janeiro definiram o calendário de ações contra a situação caótica da saúde pública e a desvalorização da medicina por parte do governo federal, nessa segunda-feira, 22, durante uma assembleia no Colégio Brasileiro de Cirurgiões (CBC). Entre as principais mobilizações, estão: paralisações, com manifestações, nos dias 30 e 31 de julho, acompanhando a agenda das entidades nacionais.

No dia 30, o ato público começará na porta do Hemorio, às 9h, onde haverá um mutirão de doação de sangue, organizado pelos residentes. Às 11h, os médicos se concentrarão na entrada principal do Hospital Municipal Souza Aguiar e planejam seguir em passeata até a prefeitura.

Já no dia 31, o ponto de encontro será na Cinelândia, às 11h. Está prevista uma passeata, passando pelo Ministério da Saúde no Rio de Janeiro, na Rua México, com término na Assembleia Legislativa, onde acontecerá uma assembleia ao ar livre.

As mobilizações serão em protesto contra a Medida Provisória 621/2013, que cria o programa “Mais Médicos para o Brasil”, que prevê, entre outras ações, a importação de médicos sem a revalidação do diploma e a ampliação de mais dois anos para o curso de medicina a partir de 2015; os vetos à Lei do Ato Médico; a privatização da saúde, por meio da empresa pública de direito privado, Saúde Brasil – braço da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) –; o sucateamento das unidades e o fechamento de hospitais e serviços.

Além disso, a categoria reivindicará: a realização de concursos públicos, com salários dignos, melhores condições de trabalho e carreira de Estado.

Os colegas também decidiram apoiar os estudantes da Universidade Gama Filho, que, desde a última semana, estão acampados na reitoria da instituição, exigindo da mantenedora Galileo Educacional o pagamento imediato do acordado com os professores, ensino de qualidade, a apresentação de um relatório financeiro da instituição dos anos 2012 e 2013, além da intervenção do Ministério da Educação (MEC).

Para isso, a categoria irá acompanhar a visita do presidente da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, Gabriel Chalita, à universidade, nesta terça-feira, 23.

Durante a assembleia, também foram divulgadas atividades em Brasília, como a audiência pública sobre a MP 621/2013 no dia 8 de agosto e o Encontro Nacional das Entidades Médicas, nos dias 9 e 10.

Além do CREMERJ, participaram da reunião: o vice-presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Aloisio Tibiriçá; o representante da Academia Nacional de Medicina, Celso Ramos Filho; o presidente do Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro (Sinmed-RJ), Jorge Darze; e a presidente da Associação Nacional dos Médicos Residentes, Beatriz Costa.