CREMERJ e sociedades mantêm suspensão por guias de atendimento

12/07/2013


Em reunião com as sociedades de especialidade, nessa quarta-feira, 10, no CREMERJ, os médicos decidiram manter a suspensão dos atendimentos por guias dos planos Bradesco Saúde, Geap e Porto Seguro por não negociar um reajuste de honorários para a categoria. Na ocasião, os colegas também falaram sobre o ato público, que aconteceu na manhã desta quinta-feira, 11, reivindicando: consulta com valor mínimo de R$ 70,00; 5ª edição da CBHPM plena para todas as operadoras e equiparação dos valores dos procedimentos médicos realizados em enfermarias aos dos quartos. 

Os planos de saúde, que ainda não apresentaram propostas, disseram que aguardam a divulgação dos índices de reajuste da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Entretanto, o diretor-presidente da ANS, André Longo, afirmou, em reunião com o CREMERJ, que tais valores não dependem um do outro. 

A categoria também colocou em pauta a Medida Provisória 621/2013, que cria o “Programa Mais Médicos para o Brasil”, que prioriza a importação de médicos para o interior do país sem a revalidação do diploma e que obriga os estudantes de medicina, a partir de 2015, a trabalhar por dois anos no SUS como requisito fundamental para obter o diploma. A medida foi veementemente criticada pelos participantes. 

Na ocasião, o CREMERJ reafirmou que não irá registrar médicos sem a revalidação e incentivou os colegas a participarem do Dia Nacional de Protesto contra a MP 621/2013, em 16 de julho (terça-feira), quando serão realizadas mobilizações em todo o país. No Rio de Janeiro, o CREMERJ, com o apoio de outras entidades médicas, promoverá uma manifestação na Cinelândia, às 16h. Detalhes do ato público serão definidos em assembleia no dia 15 (segunda-feira) no Colégio Brasileiro de Cirurgiões, em Botafogo.