Médicos de Teresópolis fazem paralisação em defesa da saúde

04/07/2013


Médicos da Região Serrana do Rio de Janeiro também aderiram ao movimento que aconteceu em todo o Brasil, nessa quarta-feira, 3, em defesa da saúde pública e contra a importação de médicos sem a revalidação do diploma. Em Petrópolis e Teresópolis, alguns setores ficaram fechados em apoio às reivindicações.

No Hospital das Clínicas de Teresópolis Costantino Ottaviano (HCTCO) não houve atendimento ambulatorial e cirurgias eletivas. A direção do hospital, que disse apoiar a decisão do corpo clínico, informou que a paralisação não afetou o atendimento de urgência e emergência da unidade.

Em Petrópolis, de acordo com a Associação Médica do município, profissionais da perícia médica do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) aderiram à causa, reduzindo em 50% o atendimento.

O coordenador da seccional do CREMERJ, em Teresópolis, Paulo Barros, em entrevista à Inter TV (filiada à TV Globo), defendeu melhores condições de trabalho para os médicos, com salários dignos e carreira de Estado, e criticou a importação de médicos sem a revalidação do diploma.