Médicos das centrais de regulação de vagas se reúnem com o CRM

10/06/2013


Médicos das centrais de regulação de vagas do estado e do município denunciaram, em reunião com a diretoria do CREMERJ nesta sexta-feira, 7, situações de abuso de autoridade por parte de oficiais de Justiça, que, por meio de determinações judiciais, exigem que eles encontrem vagas para os pacientes, mesmo quando não há disponibilidade em nenhum hospital da rede pública, ou realizem transferências de pacientes em estado grave para leitos de UTI. 

Os colegas são coagidos a conseguirem as vagas até quando elas não existem, porque correm o risco de serem presos. Dois médicos da central de regulação de vagas do estado, por exemplo, estão sendo processados criminalmente, apesar de terem se esforçado ao máximo para cumprir a determinação judicial. 

Durante a reunião, decidiu-se que a Assessoria Jurídica (Ajur) do CREMERJ prestará auxílio aos colegas. A Ajur também avaliará a possibilidade de interposição de habeas corpus preventivo e vai relatar os abusos cometidos por parte das autoridades.

Além disso, o Conselho se reunirá, na próxima semana, com o secretário estadual de Saúde do Rio de Janeiro, Sérgio Côrtes, para falar sobre a regulação e as constantes situações de abuso de poder. O CREMERJ também deverá agendar um encontro com a presidente do Tribunal de Justiça do Rio, Leila Mariano, para debater o assunto.

“Essa situação é absurda. Médicos das centrais do estado e do município estão trabalhando sob pressão constantemente. Os colegas não são culpados se não há vagas na rede pública. O CREMERJ está tomando as medidas necessárias para resolver a questão”, disse o coordenador de Comissão de Saúde Pública do Conselho, Pablo Vazquez.

Também participaram da reunião os conselheiros Luís Fernando Moraes e Nelson Nahon.